Destaque Policial Santo Antônio da Platina

Mais um paciente transferido enquanto UTI continua fechada

Com lesões graves, Gesuel dos Santos foi transferido para Londrina depois de ser brutalmente agredido

Gesuel dos Santos foi levado inconsciente ao Pronto Socorro
CRÉDITO: Thannillo Araújo/NP TV

Luiz Guilherme Bannwart


Gesuel Natal dos Santos, 32, é mais uma vítima da violência urbana e da disputa judicial que impede a entrada em operação da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional do Norte Pioneiro. Após ser brutalmente espancado na noite de domingo (20) na Vila Sete, em Santo Antônio da Platina, exames revelaram lesões graves na face do paciente e a necessidade de sua transferência imediata a um centro médico avançado.

Assim como tantos outros pacientes que precisaram ser transferidos para UTIs em outras regiões do Estado, Santos poderia permanecer em ‘casa’, não fosse o impasse jurídico que impede o funcionamento dos 10 leitos entregues pelo governo estadual no fim do ano passado à população do Norte Pioneiro. Vale salientar que a unidade está pronta desde o final de 2016.

Conforme apurou a reportagem, Gesuel dos Santos foi surpreendido por dois homens em uma motocicleta, ambos usando tornozeleiras eletrônicas (medida judicial para substituir o cumprimento de pena em regime fechado), que deram início a uma discussão seguida por agressões utilizando-se dos próprios capacetes, pedras e um pedaço de madeira que resultaram em lesões graves na vítima, que foi socorrida e levada inconsciente ao Pronto Socorro pelo Samu.

De acordo com os médicos, Santos terá que passar pela reconstrução de alguns ossos da face, especialidade que seria disponível no Norte Pioneiro, caso a Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Regional estivesse em funcionamento. Apesar da gravidade do quadro clínico do paciente, ele está consciente e não corre risco de morte.

Ocorre que uma liminar judicial concedida por uma vara cível de Curitiba, obtida por uma empresa que perdeu a licitação para operacionalizar a UTI do Hospital Regional do Norte Pioneiro (HRNP), sediado em Santo Antônio da Platina, impede o funcionamento da unidade. Este teria sido o motivo pelo qual a inauguração da unidade, que deveria ter ocorrido no dia 14 de dezembro último, foi suspensa.

A empresa vencedora Provida União de Serviços Médicos, liderada pelo médico platinense Anderson Hinterlang, apresentou sua defesa, através do advogado Adrian Hinterlang, que representou a prestadora de serviços na licitação. Segundo informações dos representantes legais, a alegação da concorrente foi que teria faltado documentos na fase de habilitação, mas nada de anormal teria ocorrido durante o procedimento, tanto que a concorrência foi homologada e o contrato assinado no dia 22 de novembro.

Uma fonte revelou à reportagem que o início de operação da UTI vinha sendo postergado de maneira inexplicável, já que está tudo pronto há meses e não há justificativa para a unidade continuar desativada, enquanto pacientes em estado grave têm que ser removidos para outros centros médicos já que a UTI da Santa Casa de Jacarezinho não consegue suprir a demanda regional.

Dois meses após a assinatura do contrato para o início das atividades na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Regional do Norte Pioneiro, o funcionamento da UTI ainda é visto como uma incógnita por profissionais da área médica e preocupa os moradores da região.

Deixe um Comentário