Paraná Política

Justiça condena ex-presidente do IAP por abuso de poder

Da Assessoria


Luiz Tarcísio Mossato Pinto, ex-presidente do IAP
CRÉDITO: Antônio de Picolli/Arquivo

A Vara da Fazenda Pública de Paranaguá, no Litoral do estado, condenou o ex-presidente do Instituto Ambiental do Paraná, Luiz Tarcísio Mossato Pinto, por ato de improbidade administrativa em decorrência de abuso de poder no exercício da função. A decisão responde a ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Paraná, que comprovou que o ex-presidente, entre os anos de 2013 e 2014, em conjunto com o então chefe do escritório regional do órgão em Paranaguá (também condenado na ação), transferiu para outra cidade, de forma injustificada, e afastou das funções de fiscalização um servidor que havia autuado diversas empresas em decorrência de irregularidades ambientais.

Ao ajuizar a ação civil pública, a 2ª Promotoria de Justiça de Paranaguá sustentou a ocorrência de perseguição pessoal contra o servidor, que foi o único afastado das funções de fiscalização que desempenhava, mesmo havendo outros servidores que respondiam por procedimentos administrativos disciplinares e processos criminais.

Além da condenação dos dois ex-agentes públicos à perda da função pública, à suspensão dos direitos políticos pelo prazo de três anos e ao pagamento de multa no valor de dez vezes sua última remuneração na época dos fatos, a sentença judicial também anulou as duas portarias do órgão ambiental que determinavam o afastamento do servidor do escritório de Paranaguá e das funções de fiscalização.

Deixe um Comentário