Santo Antônio da Platina

Jovem diz que é vítima de negligência da Saúde

Desesperado com agravamento do quadro de Covid, jovem de 25 anos é levado pela família a São Paulo onde recebeu tratamento

Paulo Henrique dos Santos: negligência e convite para depor na delegacia
CRÉDITO: ANTÔNIO DE PICOLLI

SANTO ANTÔNIO DA PLATINA

Da Redação


Paulo Henrique dos Santos, de 25 anos, morador em Santo Antônio da Platina, esteve na tarde desta terça-feira (25), na redação da Tribuna para denunciar que fui vítima de negligência no atendimento a um caso de infecção por coronavírus, que, segundo ele, quase lhe custa a vida, pois seu caso evoluiu para Cpovid-19, que teria comprometido 50% de sua atividade pulmonar.

A família, desesperada com o agravamento do quadro clinico do jovem, levou-o para São Paulo, internando-o no Hospital de Campanha de Santo André, onde trabalha uma tia do paciente. Após o internamento, submetido a exames, descobriu-se que Paulo Henrique estava com Covid com um quadro clico que indicava comprometimento dos pulmões.

Ele conta que ficou 10 dias internado e mais cinco em isolamento, mas ainda guarda sequelas da infecção pulmonar. “A decisão de me levar para São Paulo foi de meus pais, desesperados com meu quadro clínico, que piorava sem que recebesse atendimento especializado em Santo Antônio da Platina”, conta o jovem.

Denúncia

O que a família não esperava é que, ao retornarem à cidade de origem, se depararam com uma intimação da Delegacia de Polícia Civil, para prestar depoimento sobre uma denúncia formalizada pela Secretaria Municipal de Saúde, de quebra de isolamento domiciliar, que estaria colocando em risco a vida de outras pessoas no deslocamento a São Paulo.

Paulo Henrique dos Santos conta que teve que comparecer à delegacia juntamente com os pais, para prestar depoimento. “Jamais teria viajado se tivesse sido atendido adequadamente. Quase perco minha vida e ainda tenho que responder a processo?”, questiona.

Diante da situação inusitada, Paulo Henrique conta contratou um advogado e ele e os pais estão processando o município por negligência no atendimento em saúde.

O rapaz conta que, no dia 15 de julho, passou mal na empresa onde trabalha e foi levado à Unidade Básica de Saúde do Conjunto Vitória Régia, de onde foi encaminhado à Sentinela, unidade de triagem dos casos suspeitos de infecção por coronavírus.

Ele conta que a única medida prescrita no seu caso foi o isolamento. No dia 17 retornou à sentinela, quando foi realizada a coleta para exame de PCR no Lacen, em Curitiba. Ele conta que o resultado do exame demorou oito dias e, antes que fosse notificado do resultado positivo, os pais resolveram leva-lo para São Paulo onde foi internado e recebeu tratamento adequado. “Quando voltei de São Paulo, curado, fiquei sabendo que está sendo aguardado para depor na delegacia”, diz Paulo Henrique, que, resolveu processar o Município.

Procedimento padrão

A secretária de Saúde de Santo Antônio da Platina Gislaine Galvão, em entre vista por telefone, disse que o setor de Epidemiologia e a própria pasta que dirige, agiu no caso der Paulo Henrique dos Santos dentro do que determina o protocolo no caso da campanha contra a Covid. “A partir do momento em que a Vigilância Epidemiológica não encontra o paciente onde deveria estar em isolamento, o protocolo manda que imediatamente seja registrado boletim de ocorrência junto a autoridade policial”, explica.

Gislaine diz que o paciente não apresentava quadro de gravidade e que todo o atendimento necessário foi realizado. A secretária diz entender a preocupação da família do paciente, mas ressalta que a Saúde fez tudo o que manda o protocolo nesses casos.

Deixe um Comentário