Jacarezinho

Jacarezinho sem registro de dengue há duas semanas

Município já contabilizou mais de mil pessoas infectadas em 2019

Mutirões de limpeza colaboraram para os resultados positivos no combate à doença
CRÉDITO: Antônio de Picolli

Lucas Aleixo, especial para a Tribuna do Vale


A situação ainda expira cuidados, mas a epidemia de dengue em Jacarezinho está controlada. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, nas duas últimas semanas não houve confirmação de nenhum novo caso da doença, que contabilizou mais de mil pessoas infectadas em 2019. 

De 15 dias para cá foram feitas 50 notificações de pessoas com suspeitas de dengue no município, porém, ainda não houve nenhuma confirmação. No auge da epidemia eram mais de 200 notificações por semana – e a maioria com resultado positivo para a doença. O secretário municipal de Saúde, Marcelo Nascimento e Silva, atribui a diminuição dos casos às ações de combate promovidas pela prefeitura e à mudança no clima. 

“Fizemos diversas ações de bloqueios e outras medidas para eliminar criadouros do mosquito transmissor da dengue, o que acabou surtindo esse efeito. Claro que o frio também colaborou para a diminuição dos casos”, relata. 

Jacarezinho foi o único município do Norte Pioneiro a enfrentar epidemia de dengue neste ano. O bairro mais afetado foi a Vila São Pedro, berço da doença em 2019. Por este motivo o local passou a contar com uma estrutura médica no posto de saúde do bairro para atender especificamente pacientes com suspeitas ou diagnosticados com dengue. 

Os números foram tantos que o município chegou a ficar um período sem os testes rápidos para os pacientes suspeitos, que é repassado pelo governo do Estado. Outro problema foi a falta do inseticida usado no fumacê para combate ao Aedes aegypti, em falta em todo o Brasil. 

Apesar do número expressivo de casos, felizmente em 2019 não foram registrados óbitos de pacientes em decorrência da dengue. 

CONTROLE BIOLÓGICO 

Independente da melhora do panorama epidêmico, a prefeitura de Jacarezinho tem aberto um chamamento público visando contratar uma empresa especializada para fazer o controle biológico do Aedes aegypti. 

A ideia é consequência do projeto piloto realizado pela Forrest Brasil Tecnologia no bairro do Aeroporto até abril deste ano, que teve como resultado a redução de mais de 90% da infestação do mosquito. 

A técnica adotada pela empresa consiste na soltura de milhares de machos estéreis do Aedes aegypti no local abrangido pelo projeto. Como a fêmea só copula uma única vez durante a vida, se a cópula acontecer com um macho estéril não haverá descendentes. Já uma reprodução natural resulta em até dois mil novos mosquitos. 

Por esta razão o Aeroporto apresenta os menores índices de casos da dengue entre os bairros de Jacarezinho, contrariando os anos onde o município já enfrentou epidemias e o Aeroporto era a região justamente mais afetada pela doença. 

Deixe um Comentário