Editoriais Jacarezinho

Jacarezinho precisa mudar

Homero Pavan Filho*


Desculpe, você que já sabe, mas é preciso dizer porque nem todos sabem. Os municípios, ou as prefeituras, têm que gastar no mínimo 25% do que arrecadam com educação e 15% com saúde. Então, nesses dois setores, já ficam comprometidos 40% do orçamento municipal – repito, no mínimo. Em 2018, Jacarezinho gastou 27% com a Educação e 23% com a Saúde, ou seja, 50% do Orçamento.

Outra despesa fixa se dá com a Câmara Municipal. São 6% do orçamento destinados ao Legislativo. Como o orçamento de 2019 é de R$ 104 milhões, são perto de R$ 8 milhões para os vereadores. É tanto dinheiro que eles não conseguem gastar tudo. Somando com educação e saúde já temos 56% do total de recursos arrecadados apenas com essas três despesas – saúde, educação e Câmara.
Retire do total arrecadado as despesas fixas com o custeio da máquina pública – salários, empregados terceirizados, aluguéis, água, luz, telefone, informática, combustíveis, lubrificantes, material de limpeza, materiais de escritório, coleta de lixo, peças pra manutenção de máquinas, caminhões e automóveis, iluminação pública…
Sobra muito pouco pra investimento. Quase nada. A solução é mendigar junto aos governos estadual e federal, que estão na mesma situação de falência, por assim dizer. Toca puxar o saco de deputados pra conseguir uma verba pra posto de saúde, máquinas novas, asfalto, casas populares…
Então, daí o povo pede emprego. “Vão atrás de indústrias!!!”
A Secretaria de Comércio, Indústria, Turismo e Serviços tem R$ 10 mil no Orçamento ANUAL pra atender TODOS os funcionários, em torno de 15 pessoas. Este ano, 2019, como ainda não gastamos nada, temos R$ 1 mil por mês de diárias até o final do ano. 
Enquanto isso, também em 2019, ou seja, apenas dois meses, temos vereador que já utilizou R$ 8.050,00 com diárias (Zola). Outros já utilizaram R$ 5.050,00 (André, Chiquinho, Patrícia, Nascimento). Apenas um vereador ainda não requisitou diárias em Jacarezinho (Edílson). 
Ano passado, a Câmara Municipal gastou cerca de R$ 300 mil em diárias. Em 2019, até o momento, já foram gastos R$ 35 mil (e janeiro estavam em recesso). Eu poderia viajar com meu salário, mas na gestão passada a Câmara baixou o valor e hoje recebemos R$ 3,5 mil líquidos por mês. Não sobra!
Eu não sou contra os gastos dos vereadores. Afinal, eles precisam viajar pra fazer cursos. É fácil perceber a melhoria da qualidade dos trabalhos legislativos nos últimos anos. É uma lei melhor que a outra. Um requerimento de pedido de informações mais bem redigido que o outro. Coisa de primeiro mundo.
O que eu gostaria é que os vereadores me ajudassem. A cada viajem de trabalho, nos cursos que fazem, convidassem um empresário, dono de indústria, a visitar Jacarezinho. Uma empresa por ano, já pensaram? Some os gastos com diárias aos gastos com assessorias, e em um ano seria possível fazer a iluminação pública do Distrito Industrial. Sabe quantas emendas a Câmara de Jacarezinho fez pra investimentos na geração de empregos? Nenhuma.
Por quê os vereadores não fazem isso? Você já perguntou àquele em quem votou? Pergunte!
Ano que vem teremos eleições, e alguns vereadores já estão em campanha, seja à reeleição, seja como candidatos a prefeito e vice. Minha sugestão é que você vote em quem ajuda a trazer indústrias pra nossa cidade. Caso não encontre um vereador disposto a esse sacrifício por empregos, vote em outro. Ano que vem é sua oportunidade de mudar.
*O autor é secretário de Municipal do Comércio, Indústria, Turismo e Serviços

Deixe um Comentário