Economia

Instalação da Marvi em Cambará depende de estudo de viabilidade

Assessoria

O prefeito de Cambará, Jose Salim Haggi Neto (MDB), ou simplesmente Neto como e mais conhecido, divulgou na manhã desta sexta-feira (31), uma nota de esclarecimento para esclarecer notícias veiculadas esta semana nos meios de comunicação do município, sobre a provável instalação de uma unidade da empresa Marvi em Cambará, que tem como sede a cidade de Ourinhos/SP.

Ele informa à população cambaraense, que nesta semana, recebeu em seu gabinete, na prefeitura, representantes da empresa Marvi de Ourinhos, onde está instalada há cerca de 60 anos, onde possui um parque industrial todo automatizado, sendo a maior da América Latina em produtos para sorvete.

O motivo da visita dos empresários, segundo Neto, foi a busca de informações sobre um terreno de três alqueires, que é de propriedade do Município de Cambará, localizado na Rodovia PR – 431 (Rodovia Benedito Moreira), para que fosse disponibilizado à empresa, que mostra interesse de instalar uma Unidade de Transporte e Logística no município.

“Informo à população, que muito nos honrou esta primeira visita dos empresários ourinhenses e colocamos toda a estrutura da Prefeitura, seja das secretarias que poderão vir acompanhar o processo de instalação da unidade em nossa cidade, como também a parte documental que faz parte dos trâmites legais para casos como este”, esclarece.

No entanto, segundo o prefeito, a disponibilização do terreno é a primeira etapa, que poderá vir a se concretizar após estudos de viabilidade que a empresa pretende realizar em Cambará. “Quero alertar a população, de que a esta é a primeira etapa do estudo que a Marvi vai realizar e poderá indicar que nosso município não apresente a melhor solução para os negócios da empresa. Pode ser que os empresários cheguem a conclusão de que implantar uma unidade em Cambará, não trará a eles o que estão buscando em termos de parcerias na área de Transporte e Logística, que o nosso município hoje tem se tornado referência, devido às várias fábricas na área alimentícia”, assinala.

Neto diz que se sente na obrigação de alertar à população, para que se a médio e longo prazos, esta instalação não ocorra, todos já estarão cientes de que o problema foi a falta de viabilidade a que os estudos da empresa apontaram.

“Da nossa parte, estamos dispostos a fazer o possível para que este empreendimento se transforme em realidade em nossa cidade, da mesma forma que qualquer outra empresa que queira se instalar em Cambará, terá todo o nosso apoio, e os meios legais da estrutura da Prefeitura à sua disposição”, complementa.

Deixe um Comentário