Ribeirão Claro

Incêndio põe em risco dezenas de casas e assusta moradores

Com o tempo seco, chamas se propagaram com rapidez e foi preciso uma força tarefa para conter o fogo


Foto aérea mostra a proporção do incêndio e a proximidade com as residências
Reprodução Luiz Augusto Gonçalves

Da Redação


Um incêndio de grandes proporções atingiu uma área em Ribeirão Claro neste final de semana e chegou próximo a dezenas casas nos bairros Bechara 1 e 2. A intensidade das chamas com labaredas de aproximadamente 3 metros de altura assustou moradores, que se mobilizaram com mangueiras, para evitar que o fogo chegasse até as residências. Cerca de 50 casas ficaram às margens do fogo.

De acordo com diversas denúncias de moradores à Tribuna do Vale, houve falta de organização por parte Município no combate ao incêndio. Segundo relatos, a pessoa que levou o caminhão pipa para fazer o resfriamento das chamas, apesar da boa intenção em combater o fogo, não sabia manusear o caminhão.

Local atingido chegou muito próximo das casas e moradores entraram em pânico
CRÉDITO: Polícia Ambiental

“Começou a vazar água por todos os lados, menos pela mangueira. E o foco do incêndio ainda estava pequeno, se fosse uma pessoa qualificada, o fogo teria apagado e não tinha tomado tamanha proporção. Fiquei mais de duas horas jogando água na frente da minha casa tentando conter as chamas”, disse a moradora Deide Nunes.

Segundo relatos de outros moradores, o fogo começou por volta de 18h, mas o caminhão pipa foi chegar até o local era aproximadamente 20 horas. “O foco estava bem pequeno, dava para ter apagado. O prefeito declarou nas redes sociais que quem tem que disponibilizar caminhão de combate ao incêndio é o Corpo de Bombeiros e o Estado. Se tivesse uma estratégia de combate ao incêndio, isso poderia ter sido resolvido antes dos grandes estragos. O funcionário nos disse que agora tinha que deixar queimar, que não tinha mais o que fazer. Não queremos mais isso. Sempre que tem incêndio é a mesma conversa”, assinala outro morador que preferiu manter sua identidade preservada.

Nas redes sociais o assunto repercutiu muito. Vários moradores revoltados com a falta de estrutura da Prefeitura para combater incêndios.

De acordo com o Polícia Ambiental, a área afetada trata-se de um loteamento, e que até o momento não foi encontrado autores ou responsáveis, mas que muitas vezes os incêndios são criminosos ou propositais, sendo difícil descobrir a autoria de tais atos ilícitos.

Deixe um Comentário