Educação Paraná

Governo investe R$ 30 milhões em equipamentos para escolas

Serão adquiridos 2.790 climatizadores, 560 mil unidades de utensílios em inox, 1.000 refrigeradores para conservação, 5,1 mil conjuntos para refeitórios, 160 aparelhos de bufê e 3,9 mil mesas

O governador destacou que os investimentos cumprem a missão de manutenção e auxílio frequentes na infraestrutura da educação
CRÉDITO: AEN

Da Agência Estadual


O governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou na quarta-feira (6), no Palácio Iguaçu, o investimento de R$ 30 milhões em climatizadores, mobiliários e utensílios para as escolas estaduais do Paraná. Os recursos serão disponibilizados pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional (Fundepar). Parte dos equipamentos será entregue ainda neste ano.

O governador destacou que os investimentos cumprem a missão de manutenção e auxílio frequentes na infraestrutura da educação. “Queremos criar ambientes cada vez melhores para os alunos do Paraná. Os R$ 30 milhões fazem parte de um pacote que se soma a outros R$ 36 milhões já anunciados em reformas e novas adequações”, afirmou. “Alunos e professores merecem espaços mais equipados para desenvolverem suas competências”.

Ele acrescentou que os climatizadores serão fundamentais para melhorar o fluxo das aulas nas regiões mais quentes do Estado. Eles serão instalados a partir de janeiro de 2020. “Muitas vezes os alunos e os professores não têm bons desempenhos por causa do calor excessivo, por isso da necessidade de investir em climatização. Temos que ir ao encontro dos anseios das escolas”, destacou Ratinho Junior.

Serão adquiridos 2.790 climatizadores para contribuir na refrigeração de cerca de 1,5 mil salas de aula de 170 escolas localizadas em 75 cidades das regiões Norte e Noroeste. Eles consomem pouca energia, resfriam o ar de acordo com a umidade do local, não tem impacto significativo no meio ambiente e demandam pouca manutenção. Os investimentos somam R$ 12 milhões nesta rubrica.

José Maria Ferreira, presidente da Fundepar, disse que o objetivo é tornar a vida escolar mais tranquila e prazerosa. “Recebemos demandas ao longo de todo o ano e classificamos todas elas. A liberação de recursos desta quarta atende escolas dos 399 municípios do Paraná”, pontuou. “Os alunos, os professores e toda a comunidade precisam de estímulos para permanecer na escola”.

EQUIPAMENTOS – Para contribuir com os ambientes da alimentação escolar, serão adquiridas 560 mil unidades de utensílios em inox (garfos, facas, colheres, canecas e pratos), mil refrigeradores para conservação de alimentos perecíveis e 5,1 mil conjuntos para refeitórios (mesa e cadeiras).

É a primeira vez na história do Paraná que serão adquiridas facas para as merendas regulares, por exemplo. “Nós nunca havíamos adquirido facas. Os alunos de 16 e 17 anos comiam apenas com garfos, criando hábitos nada saudáveis do ponto de vista social. Isso é promoção de cidadania na educação”, acrescentou o presidente da Fundepar.

Também serão comprados 160 aparelhos de bufê para manter aquecidas as refeições nas escolas que ofertam educação em tempo integral – quinze escolas da rede estadual vão ser exclusivamente de Educação em Tempo Integral (ETI) em 2020.

Os recursos da Fundepar ainda permitirão a aquisição de 3,9 mil mesas para ambientes administrativos, bibliotecas e laboratórios de informática e mais mil banquetas para laboratórios de química, física e biologia.

“A educação pública é sempre carente de recursos. Todos os investimentos são bem-vindos, principalmente nas cozinhas das escolas. Precisávamos muito desses equipamentos novos”, disse Maira Dal Sant Hara, diretora do Colégio Estadual Yvone Pimentel, em Curitiba. Ela recebeu o “cheque” simbólico dos investimentos anunciados pelo Governo do Estado na cerimônia.

Todas as 2,1 mil instituições de ensino do Paraná serão beneficiadas com ao menos um dos itens adquiridos.

MINHA ESCOLA SEMPRE NOVA – Esses investimentos pertencem ao programa Minha Escola Sempre Nova, iniciativa do Governo do Estado para dotar definitivamente as instituições de ensino de acessibilidade, sustentabilidade e segurança, além do incentivo à convivência comunitária.

“A ideia é fortalecer a parceria com os municípios e aumentar os investimentos. Se a criança tem um bom desempenho na educação básica, quando vai para uma unidade estadual consegue melhorar a sua formação”, afirmou Ratinho Junior. “Nada mais inteligente e lógico do que fazer com que o Paraná possa ser parceiro das cidades, e com escolas reestruturadas”.

O governador também citou que a Secretaria de Educação e do Esporte e a Fundepar têm como missão para os próximos anos transferir todos os alunos que ainda estudam em escolas com salas de aula de madeira para escolas de alvenaria, e destacou iniciativas pedagógicas que se somam aos investimentos em infraestrutura como o Ganhando o Mundo, que possibilitará intercâmbios para bons alunos; o Presente na Escola, que “recuperou” a frequência de mais de 60 mil alunos faltosos; e os investimentos em educação integral para garantir aprendizado mais amplo em diversas áreas.

Segundo o secretário estadual da Educação e do Esporte, Renato Feder, a expectativa é de mudar o Estado de patamar nessa área nos próximos anos. “Estamos caminhando para o primeiro lugar. Seremos uma referência no País e estamos na direção certa tanto na parte pedagógica quanto na infraestrutura escolar”, complementou.

OUTROS INVESTIMENTOS – O governador anunciou em outubro mais de R$ 36 milhões para a infraestrutura escolar. Foram assinadas 64 ordens de serviço para o início das obras em instituições de ensino de 50 municípios, com investimentos de R$ 8,5 milhões, além de 52 ordens de licitação para obras em colégios estaduais de 41 municípios que somam R$ 28,1 milhões – algumas prefeituras receberam mais de um protocolo.

A Fundepar entregou, de janeiro até o início de outubro, 207 obras com investimentos de R$ 57 milhões. Outras 52 obras estão em andamento, entre elas sete novas unidades e as obras de restauração do Colégio Estadual do Paraná, em Curitiba, o maior e mais antigo colégio do Estado, com 4,5 mil alunos e 173 anos de história.

Deixe um Comentário