Economia

Gilmar sugere rever financiamento do Sistema S para preservar empregos

“O sistema S pode ser essa grande âncora entre nós”, afirmou o ministro do STF

Diário do Poder


O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu nesta quarta-feira (19) uma revisão no financiamento das entidades do chamado “Sistema S”, que reúne instituições como Senai, Senac e Senar, como proposta de solução para impedir que empregos continuem sendo perdidos ou “literalmente desaparecendo”, como disse o magistrado. “O sistema S pode ser essa grande âncora entre nós”, afirmou.

Gilmar acha que a discussão sobre os recursos que financiam essas instituições seria uma forma de deixá-las fortalecidas para auxiliarem no enfrentamento da crise causada pela pandemia de covid-19.

“Ao invés de pensarmos em suprimir o Sistema S, que tem muitos inimigos aí na sociedade por razões que eu não vou examinar, me parece que nós temos que aproveitar esse ativo, cobrar mais do Sistema S, e fortalecê-lo no sentido de (…) fazê-los absorver essas pessoas que estão sendo vítimas do ‘destrabalho’. Ele observou que “a toda hora aparece um gênio querendo suprimir, reinventar ou desinventar o sistema S”.

“Nós precisamos discutir essas questões, discutir o financiamento do sistema S, do sistema de seguridade social, preocuparmos com isso, acho fundamental que isso seja discutido para que depois nós levemos isso para a sociedade, e isso seja absorvido pelo Congresso Nacional, e isso vá resultando em novas leis”, concluiu o ministro, durante o lançamento online do livro “Trabalho 4.0”, promovido pelo instituto IDP.

Deixe um Comentário