Quatiguá Siqueira Campos

Gaeco cumpre mandados contra organização que movimentava empresas ‘fantasmas’

No Norte Pioneiro, ações ocorreram em Siqueira Campos e Quatiguá


Organização criminosa gerou uma dívida tributária de aproximadamente R$ 17, 4 milhões.  CRÉDITO: Divulgação

Da Redação com Assessoria

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná, cumpriu na manhã desta quinta-feira, 6 de dezembro, seis mandados de prisão temporária e dois de prisão preventiva, além de buscas e apreensões nas residências de suspeitos de integrarem uma organização criminosa. Os mandados foram cumpridos em Siqueira Campos, Quatiguá, Curitiba, Imbituva e Piraquara.

De acordo com as investigações, realizadas pelo núcleo de Guarapuava do Gaeco, a organização criminosa constituía e utilizava empresas de fachada, cujos sócios formais eram ‘laranjas’ que concordavam com a manobra, em favor, especialmente, de dois dos investigados. As empresas eram utilizadas para emissão de notas fiscais fraudulentas, geração fraudulenta de créditos de ICMS e movimentação e dissimulação de valores. É investigado também o envolvimento de contadores na constituição fraudulenta das empresas e nos crimes daí decorrentes.

Os dois principais beneficiados pelo esquema, durante um período pouco maior de dois anos de existência da empresa (de 2/12/2013 a 26/1/2016), movimentaram aproximadamente R$ 1milhão, mediante transferências bancárias para suas contas particulares, além de realizem pagamentos de contas pessoais por meio das contas bancárias da empresa.

A maior das empresas ‘fantasmas’ gerou uma dívida tributária com a receita estadual do Paraná no valor de aproximadamente R$ 17, 4 milhões. A movimentação da empresa atingiu quase R$ 350 milhões em cerca de dois anos de existência (de 2/12/2013 a 9/6/2015).

Deixe um Comentário