Abatiá

Filha e marido de candidata à prefeitura receberam auxílio

Absurdo
Jovem que recebeu três parcelas do auxílio emergencial cursa medicina em faculdade particular

Shelsia Chaves, estudando medicina e recebendo auxilio emergencial

Da Redação


A política em Abatiá, no Norte Pioneiro do Paraná, município de 7.457 habitantes, com 5.748 eleitores, está longe de viver uma competição dentro da normalidade. Depois da denúncia publicada na Tribuna do Vale no início deste mês, apontando que o candidato a vice-prefeito Haroldo Gobbo, na chapa encabeçada por Sônia Chaves (Podemos), recebeu três parcelas do auxílio emergencial do governo federal, agora é a vez do marido da postulante, Bartolomeu Chaves a da filha do casal, Shelsia Maria de Souza Chaves, ambos beneficiários ilegítimos do programa criado para socorrer a população vítima da crise provocada pela pandemia de coronavírus.

Bartolomeu á agricultor e a jovem, estudante de medicina numa faculdade particular do interior de São Paulo. A candidata declarou ao TSE – Tribunal Superior Eleitoral, um patrimônio de R$ 76.413, 75, constante de um terreno rural 1,25 alqueires (R$ 40 mil) e outro sítio de 14 alqueires (R$ 34.500,00), além de pequenos numerários em contas correstes bancárias.

A candidata a prefeita, Sônia Chaves, ao lado do marido Bartolomeu; constrangimento em família

O que causa surpresa é que as declarações de bens são pelo valor da data de aquisição, razão pela qual um pequeno sítio de pouco mais de um alqueire seja declarado com valor superior a outra área de 14 alqueires. Segundo fontes do mercado imobiliário da região, o alqueire de terras de cultura no município de Abatiá está avaliado em cerca de R$ 50 mil. Neste caso, os dois sítios declarados pela candidata a prefeita estariam avaliados em cerva de R$ 760 mil, muito além dos R$ 76 mil que declarou.

Escândalo

A jovem Shelsia Chaves que declara em sua página no facebook estar cursando medicina, sem revelar a faculdade, recebeu três parcelas do auxílio emergencial, totalizando R$ 1.800. Enquanto isso, seu pai, Bartolomeu Chaves, recebeu outras três parcelas, num total também de R$ 1.800.

Isso escancara a face de um país em que boa parte da população perdeu o sentido de ética, respeito e dignidade, expondo o apodrecimento moral de parte significativa de nosso povo.

Para se ter uma dimensão dessa tragédia moral, o vice na chapa de Sônia Chaves declarou patrimônio de R$ 531, 9 mil e também recebeu três parcelas do auxílio emergência, totalizando R$ 1.800, uma constatação, no mínimo, vergonhosa!

O candidato a vice-prefeito de Abatiá, pelo Podemos, Haroldo Gobbo, erroneamente identificado como membro da Renovação Carismática Católica, protagonizou o primeiro escândalo em Abatiá, que atinge a credibilidade dos postulantes à cadeira mais importante do município.

Tanto ele, como o marido e a filha da candidata a prefeita, Sônia Chaves, teriam direito a receber mais duas parcelas do auxílio, além da extensão aprovada pelo governo de outras parcelas com valores 50% menores.

Após a publicação da matéria a coordenação regional da Renovação Carismática encaminhou à redação nota de esclarecimento corrigindo a informação assinalando que o movimento católico lançou apenas a vereadora Sirléia que concorre à reeleição. Ou seja, nem Sônia Chaves e muito menos Haroldo Gobbo representam a RCC em Abatiá.

Deixe um Comentário