Paraná

Falta de chuva baixa nível dos reservatórios do Paranapanema

Comitê se mobiliza para adotar estratégias de acompanhamento e ações que minimizem os impactos

Arquivo/Tribuna do Vale

Da Assessoria

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema (CBH Paranapanema) promoverá no dia 23 de maio, em Londrina-PR, uma reunião junto aos prefeitos de São Paulo e do Paraná, dos municípios que fazem parte da Bacia Hidrográfica, para apresentar a situação e providências em relação ao baixo nível dos reservatórios localizados na Bacia do Paranapanema. Na ocasião, o Superintendente de Operações e Eventos Críticos da Agência Nacional de Águas (ANA), Joaquim Gondim, conduzirá a apresentação.

No dia 24 de maio, no mesmo local, durante a reunião plenária do Comitê, haverá uma exposição sobre os fatos e as estratégias de monitoramento do Comitê para acompanhar, informar à sociedade e buscar soluções.

Para tratar do tema, a ANA instituiu e coordena a Sala de Situação do Rio Paranapanema. Participam a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), CTG Brasil, Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), Votorantim Energia, Secretária de Infraestrutura e Meio Ambiente pelo Estado de São Paulo e Instituto das Águas do Paraná.

O CBH Paranapanema e os seis Comitês Afluentes também participam das reuniões, representados por suas respectivas diretorias, e se mobilizam para instituir um sistema de monitoramento e, assim, prestar esclarecimento à sociedade sobre os acontecimentos.

Considerando este cenário, foi autorizado pelos órgãos competentes que o reservatório de Jurumirim tenha temporariamente a diminuição da defluência mínima obrigatória, de 147 m³/s para 100 m³/s, evitando, assim, que chegue, em função do baixo nível d’água, ao volume morto.

Apesar de chuvas isoladas no mês de março e abril, o volume de água não foi suficiente para o aumento significativo ao nível dos reservatórios de Chavantes e Jurumirim, sendo o último o mais prejudicado. Na última reunião da Sala de Situação, em 26 de abril, a ANA apresentou uma previsão de chuvas para os próximos meses na região dos reservatórios, o que aumenta a preocupação quanto à recuperação destes reservatórios.

Por isso, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) sugeriu que a vazão de defluência se mantenha em 100 m³/s em Jurumirim, e seja novamente diminuída, a partir do mês de junho, para 60m³/s. A medida já foi autorizada pelos órgãos competentes. Esses e os demais reservatórios da Bacia estão sendo monitorados pela ANA, que emite boletins diários com os dados coletados.

Entenda o caso

A região da Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema passa, desde o ano passado, por um período de poucas chuvas, alcançando seus piores índices, segundo os dados da Agência Nacional de Águas (ANA).  A falta de chuva culminou no baixo nível dos reservatórios presentes na Bacia – o menor percentual de armazenamento dos últimos 19 anos para esta época do ano.

O reservatório de Jurumirim, que se localiza no estado de São Paulo, e é formado pelo represamento do Rio Paranapanema, que banha dez municípios no centro-sul do estado, apresentou seu menor nível. Em fevereiro de 2000, o volume chegou a 29,81% do Volume Útil; já neste ano, no mesmo mês, o volume registrado é praticamente a metade: 14,46% e, atualmente, se encontra com 24,1%. Já no reservatório de Chavantes, o menor índice apontava 26,72%, no ano de 2015, atualmente, o volume está em 35,2%.

Sobre o Comitê

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema é um órgão colegiado, consultivo e deliberativo, no qual várias entidades participam como membros, representando a sociedade, e ali fazem a gestão dos recursos hídricos da bacia hidrográfica. Com o preceito de ser o ‘parlamento das águas’, compõem o Comitê representantes de três segmentos: Poder Público (Federal, Estadual e Municipal), Usuários de Recursos Hídricos (irrigantes, indústria, mineração, hidroeletricidade, companhias de saneamento, pesca e turismo) e Entidades Civis (ONGs ambientalistas, instituições de ensino e associações técnicas).

O Comitê do Rio Paranapanema, por ser Interestadual, além de gerir o trecho do curso do rio que atravessa os estados de São Paulo e Paraná, tem como função promover a integração de toda a Bacia. O CBH Paranapanema foi instituído em 2012 e tem a missão de gerir os recursos hídricos da Bacia Hidrográfica, melhorando a quantidade e qualidade das águas.

Sobre a Bacia

A Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema reúne territórios no sul de São Paulo e no norte do Paraná com uma área de 106.554,534km², 247 municípios (115 localizados em São Paulo e 132 no Paraná) e população de 4.282.202 habitantes. Do Produto Interno Bruto (PIB) total dos municípios da bacia (R$ 76,5 bilhões – IBGE, 2011), aproximadamente 24% (R$ 18,3 bilhões) referem-se às atividades industriais, 13% (R$ 10,1 bilhões) à agropecuária e 63% (R$ 48,1 bilhões) aos serviços.

A UGRH Paranapanema possui um importante potencial hidroelétrico aproveitado por meio de 13 usinas hidrelétricas (UHEs), 18 pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e 07 centrais geradoras hidrelétricas (CGHs) que apresentam uma potência total instalada de 2.826,5 MW.

Serviço

Reunião – Sala de Situação do Paranapanema

23/05/2019 – 14 às 16h: Apresentação aos Prefeitos Municipais

24/05/2019 – 9h30 às 12h: Apresentação e discussão em plenário do Comitê

Local: Hotel LondriStar – Rodovia Celso Garcia Cid, 3225 – Km 74,5 – Londrina/PR

Deixe um Comentário