Cambará

Exames confirmam infecção de 95 presos e agentes da Cadeia de Cambará

Surto de Covid-19 atinge 90% dos detentos e servidores da unidade prisional

Surto de Covid-19 atinge 90% dos detentos e servidores da unidade prisional
CRÉDITO: LUCAS ALEIXO

Jacarezinho – Da Redação


A testagem para Covid-19 realizada pelo Depen (Departamento Penitenciário do Paraná) na Cadeia Pública de Cambará teve 95 exames positivos. Os números equivalem a cerca de 90% do total de detentos e agentes penitenciários lotados ali e comprovam o surto da doença nas dependências da unidade prisional.

Esta foi a segunda testagem em massa realizada entre presos e agentes. Na primeira, semana retrasada, houve 12 diagnósticos para Covid-19, todos entre presos que estavam assintomáticos. Mesmo assim os detentos infectados foram transferidos para unidades com maior capacidade de isolamento.

Agora, ao menos a princípio, as informações são de que não haverá a transferência de detentos. De acordo com o prefeito de Cambará, José Salim Haggi Neto (MDB), a prefeitura tem dado todo apoio possível ao Depen.

“O que está dentro da nossa alçada, estamos fazendo, sempre com a orientação do Ministério Público. Demos todo apoio com profissionais e remédio, também com transporte, quando foi preciso. Nesse momento não deve ser realizada a transferência de presos. Parece que todos ou praticamente todos estão assintomáticos. O Depen também tem tomado as providências e vamos continuar monitorando, que é o que podemos fazer agora”, pontua.

Sabe-se que uma série de medidas foi adotada pelo Depen para tentar frear a disseminação da doença no interior da cadeia, como restrição de visitas, limpeza contínua de ambientes, higienização de viaturas e veículos de remoção. Os detentos também trabalham na produção de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), como máscaras e aventais, além de álcool em gel e produtos de limpeza. 

Além disso, desinfecção de ambientes compartilhados (como corredores, refeitórios, pátios e canteiros de trabalho dos detentos) está ocorrendo com maior periodicidade. A limpeza é feita diariamente com aspersão de água sanitária.  Presos e servidores têm de duas a quatro máscaras à disposição, além de álcool em gel e sabão para higienização das mãos.

Mesmo com a transferência de detentos na semana passada, a cadeia de Cambará abriga mais de 100 presos – número muito superior à capacidade de lotação da unidade prisional.

Deixe um Comentário