Joaquim Távora

Ex-PM é condenado por homicídio, mas sai livre do fórum

Luciano Quadri atirou contra a vítima durante uma briga de bar em 2012

Da Redação


O Tribunal do Júri da comarca de Joaquim Távora condenou por homicídio na tarde desta sexta-feira (26), o ex-policial militar Luciano Marcelo Quadri, acusado de atirar e matar Paulo Cesar Camargo durante uma briga de bar na madrugada de 29 de dezembro de 2012. Entretanto, como a pena aplicada foi de seis anos e oito meses de prisão, o réu saiu em liberdade do fórum, pois já havia cumprido três anos de reclusão.

O promotor de Justiça Wilson Dornelas Rodrigues Filho disse que o ex-PM poderia ter evitado o confronto e teria tido a oportunidade de conduzir a situação de outra forma, e que as ações do réu teriam contribuído diretamente para o desfecho trágico da briga.

Já a defesa do ex-policial, representada pelo advogado Claudio Dalledone, alegou que ele só fez uso da arma de fogo, após ser dominado por uma ‘gravata’, e que atirou quando este foi seu último recurso. Outro argumento do defensor foi que Quadri sofreu uma série de agressões de amigos da vítima, inclusive com garrafas, antes de atirar.

Após longo debate entre acusação e defesa, os jurados entenderam que o réu realmente poderia ter evitado o confronto, mas também consideraram as agressões sofridas por ele antes de efetuar o disparo, condenando-o por homicídio, com atenuante por agir sob violenta emoção.

A briga aconteceu em um bar nas proximidades da praça central de Joaquim Távora e foi testemunhada por várias pessoas. Após a tragédia, Quadri foi desligado da Polícia Militar, onde trabalhava há anos como policial rodoviário.

Deixe um Comentário