Meio Ambiente

Estudo analisa boas práticas da indústria no Paranapanema

Webinar divulgará estudo do uso das águas e boas práticas das indústrias do Paranapanema

Da Assessoria


No dia 8 de outubro, a partir das 9h, por meio virtual, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema (CBH Paranapanema) e a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) promoverá o webinar  de lançamento do estudo: “A indústria na Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema – Uso da Água e Boas Práticas”.

Durante a elaboração do Plano Integrado de Recursos Hídricos do Paranapanema (PIRH Paranapanema) aprovado pelo Comitê em 2016, foi identificada a lacuna de conhecimento sobre o perfil de uso da água pelas indústrias.

A ANA, atendendo a uma das ações do PIRH Paranapanema, desenvolveu um estudo que objetivou caracterizar o perfil de uso da água e estimar a carga efluente potencialmente poluidora da indústria, considerando as reduções geradas pelas ações sustentáveis de racionalização do uso da água e tratamento ou reuso de efluentes, ou seja, as boas práticas desenvolvidas.

Este levantamento constituiu um arcabouço consistente de informações a respeito das demandas hídricas e das cargas poluidoras, assim como das boas práticas atuais e potencialmente aplicáveis, contribuindo para o aperfeiçoamento dos sistemas de gestão de recursos hídricos.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo link: http://bit.ly/webinar_paranapanema

Programação

  • 8h45 – Abertura da sala e recepção dos participantes;
  • 9h00 – Vídeo #EuSouParanapanema;
  • 9h05 – Abertura do evento;
  • 9h30 – Considerações iniciais e apresentação do estudo;
  • 10h10 – Diálogo com representantes do setor;
  • 11h00 – Diálogo com participantes;
  • 12h00 – Encerramento.

Dúvidas ou mais informações: [email protected]www.paranapanema.org | (14) 3316-9290

Sobre o estudo

Atualmente, no Paranapanema, há mais de vinte mil unidades industriais, distribuídas em 99 setores diferentes. Abaixo, as principais informações sobre os quatro maiores segmentos industriais da Bacia Hidrografia do Rio Paranapanema.

Sucroenergético

Do setor sucroenergético, 26 indústrias foram avaliadas, por meio de informações diretamente fornecidas ou buscadas junto aos órgãos de licenciamento. De acordo com o estudo, estima-se que o setor utiliza cerca de 1,02 metro cúbico de água para o processamento de cada tonelada de cana (m³/ton cana). A perda por evaporação é de cerca de 0,92 m³/ton cana.

O estudo aponta, ainda, que o setor conseguiria alcançar a meta de utilização de 0,8 a 1,0 m³/ton cana se adotadas uma série de boas práticas apontadas pelo próprio setor. Se atingida essa meta, o potencial de reduzir o consumo de água está entre 11 e 17,6 bilhões de litros por ano.

Celulose e papel

Dentro da Bacia Hidrográfica do Paranapanema, as indústrias voltadas para a fabricação de celulose e papel estão, principalmente, concentradas nas vertentes paranaense da Bacia – Norte Pioneiro e Tibagi. Foram colhidos dados de 78% das indústrias do setor dentro da Bacia, seja de forma direta, por meio de questionários, ou indireta, repassadas pelos órgãos gestores.

O estudo apontou que o setor utiliza cerca de 27,8 m³ de água (captada) para a fabricação de cada tonelada de celulose produzida (m³/tsa); entre 13,5 e 67,8 m³/ton papel para a fabricação de celulose e papel; e entre 33,0 e 38,4 m³/ton papel para a fabricação de papel. Os dados ainda mostraram que a perda por evaporação é entre 0,9 e 1,0 m³/ton papel.

O estímulo às boas práticas, que aproximem as indústrias das metas de captação e lançamento, tem o potencial de reduzir a retirada da água em mais de 43 bilhões de litros ao ano, reduzir o lançamento em mais de 41 bilhões de litros ao ano e com isso reduzir a carga de DBO (demanda bioquímica de oxigênio) em 720 toneladas/ano.

Bebidas Alcoólicas

Foram colhidos em 100% das indústrias do setor de bebidas alcóolicas localizadas na Bacia, de forma direta, por meio de questionários, ou indireta, repassadas pelos órgãos gestores.

Os dados apresentados mostram que as indústrias do setor de bebidas utilizam cerca de 2,87 a 3,33 m³ de água por m³ de cerveja em indústrias de grande porte, e de 3,75 a 8,32 m³ água/m³ de cerveja para indústrias de pequeno porte. Os dados mostram que a perda por evaporação é de 0,55 a 0,60 por m³ de bebida.

O setor de bebidas é reconhecido por boas práticas da indústria com ótimos indicadores, com boas médias atuais e grande potencial em redução de uso da água. Os indicadores mostram o potencial de reduzir o lançamento de água residuária em mais de 500 milhões de litros ao ano, reduzir o consumo anual em mais de 300 milhões de litros por ano, e reduzir a carga de DBO (demanda bioquímica de oxigênio) em 17 toneladas/ano.

Abate e produtos de carne

Para o setor de abate e produtos de carne foram colhidos dados de 66% do total de indústrias do setor, de forma direta, por meio de questionários, ou indireta, repassadas pelos órgãos gestores. Os dados mostram que as indústrias utilizam entre 2,74 e 12,78 m³ de água por tonelada de produto no abate de bovinos; de 3,05 a 9,24 m³/tonelada de produto no abate de bovinos e suínos; 1,69 a 12,05 m³/t de produto no abate de suínos; 6,74 a 17,00 m³/t de produto no abate de aves e 2,46 a 2,66 m³/tonelada em subprodutos do abate.

O estímulo às boas práticas mostra um potencial em redução no consumo anual de mais de 6 bilhões de litros ao ano, redução no lançamento de águas residuárias em mais de 4 bilhões de litros ao ano, e reduzir a carga de DBO (demanda bioquímica de oxigênio) em 255 toneladas/ano.

Deixe um Comentário