Santo Antônio da Platina

Esporte e cidadania por saúde e respeito ao meio ambiente

Enquanto pratica remo, soldado do Corpo de Bombeiros retira lixo jogado em represa por moradores e cobra conscientização

Enquanto pratica esporte, o bombeiro Alex Júnior recolhe lixo jogado por populares na represa
CRÉDITO: Antônio de Picolli

Luiz Guilherme Bannwart


Se cada pessoa contribuísse o mínimo necessário para a manutenção do próprio terreno e de espaços públicos no entorno de suas casas, certamente a região teria um panorama bastante diferente a respeito dos graves problemas de saúde que afligem grande parte da população brasileira e em relação ao meio ambiente. Ações simples no cotidiano como as praticadas pelo soldado do Corpo de Bombeiros de Santo Antônio da Platina, Alex Junior da Fonseca, são exemplos a serem seguidos que podem transformar a qualidade de vida dos cidadãos, em especial dos platinenses.

Há um ano, nas horas vagas, o bombeiro militar pratica Standup padlle, modalidade esportiva de remo em pé ou surfe com remo de origem havaiana, que está se tornando cada dia mais popular em todo o mundo. Os treinamentos acontecem habitualmente em um lago no bairro Roberto Rennó, onde atletas e cidadãos comuns também praticam outras modalidades do gênero e famílias se reúnem aos finais de semana e feriados para pescar e dedicar o tempo livre ao lazer. No entanto, a falta de cuidados com o local preocupa Alex Júnior, que cobra conscientização aos moradores e ações por parte do poder público. 

CRÉDITO: Antônio de Picolli

 “Toda vez que venho aqui para remar o cenário é o mesmo, lixo dentro e ao redor do lago. Veja quanto material poluente retirei da água em apenas alguns minutos de coleta, é lixo que oferece risco à saúde humana, principalmente neste período crítico por conta da dengue, sem contar os danos ao meio ambiente. Aqui temos aves como garças e outras espécies exóticas, até uma lontra eu já flagrei no lago, mas tudo isso pode estar com os dias contados se não houver conscientização por parte da população e ações emergenciais da prefeitura”, adverte o bombeiro.

Alex Júnior sugere a instalação de placas e lixeiras no entorno do lago e cobra por mais segurança no local. “Algumas pessoas até recolhem o próprio lixo em sacolas, mas as deixam penduradas nas árvores à espera de recolhimento, que também é feito de forma voluntária por falta do serviço público no local. Com a instalação de placas e lixeiras o problema pode ser amenizado”, pondera. “Também é preciso mais policiamento ostensivo no bairro, principalmente aos finais de semana quando as famílias passeiam no lago e se deparam com jovens fazendo uso de entorpecentes no local”, denuncia.

Procurado pela reportagem, o secretário municipal de Agricultura e do Meio Ambiente Luiz Carlos Silva se comprometeu em instalar já na próxima semana placas de orientação e advertência à população e lixeiras, cobrando, porém, a colaboração dos moradores. “Precisamos da cooperação dos moradores, por ora, para trocar os sacos plásticos das lixeiras conforme o cronograma de recolhimento do material pela empresa contratada pela prefeitura, tendo em vista que os funcionários apenas recolhem o lixo. Mas vamos estudar ações mais específicas para garantir a manutenção e conservação do local”, garante Luiz Carlos.

O comandante da 4ª Companhia de Polícia Militar, capitão Marcos Fernando Sanches Alarcon, informou que o policiamento ostensivo no bairro foi intensificado no período noturno e, que igualmente será feito durante o dia, principalmente aos finais de semana. 

Deixe um Comentário