Jacarezinho

Entrega simbólica de 300 mil para mais um médico no PS

Recurso para permitir a contração de um segundo médico para atender no pronto Socorro entre as 17 e 22 horas

Marcos JuniorJacarezinho


Os membros da Câmara Municipal de Jacarezinho realizaram nesta semana a entrega simbólica de R$ 300 mil do duodécimo do Poder Legislativo para a Santa Casa de Misericórdia, que vai utilizar o recurso pra pagamento de mais um médico que vai atuar no pronto Socorro. 

Participaram do ato solene os vereadores Fúlvio Boberg, Nilton Stein, José Izaías Gomes (Zola), Sidnei Francisquinho (Chiquinho Mecânico), André de Souza Melo (Pastor André), Diogo Augusto Biato Filho, Luiz Carlos do Nascimento e Edílson da Luz. A vereadora Patrícia Martoni não esteve presente devido em virtude de uma pequena cirurgia a que se submete. 

O investimento será aplicado na contratação do segundo médico para atendimento no Pronto Socorro. O Presidente da Santa Casa Nilton José de Souza, Dr. Nilton, explicou que o dinheiro já está na conta, faltando apenas a assinatura do contrato para dar início ao atendimento. “Não podemos começar o atendimento sem este contrato assinado entre o Hospital e o Poder Executivo. O Tribunal de Contas não aceita pagamento retroativo”, explica.

O Projeto de Lei 52/2019 vista a contratação de mais um médico no período das 17 às 22 horas. Em julho deste ano, os vereadores Fúlvio Boberg, Nilton Stein, Patrícia Martoni, Chiquinho Mecânico e Luiz Carlos do Nascimento juntamente com o Secretário Municipal de Saúde Marcelo Nascimento participaram de uma reunião com a diretoria da Santa Casa quando ficou definido o repasse.

“Quero agradecer a todos os vereadores que se sensibilizaram por esta situação e não mediram esforços para que o projeto fosse debatido e aprovado por unanimidade. Este é mais um compromisso dos legisladores com a população jacarezinhense”, assinalou Fúlvio Boberg, Presidente do Poder Legislativo de Jacarezinho. 

O Presidente da Santa Casa Nilton José de Souza explicou sobre a situação do questionamento da demora no atendimento na unidade hospitalar. “O médico está realizando o atendimento. Chega uma urgência. Ele precisa interromper as consultas para dar assistência ao novo paciente que pode estar sob risco. Com isto, acaba demorando no atendimento das pessoas que estão ali”, justifica Nilton José de Souza.

No início do mês de agosto, o presidente da Câmara recebeu um ofício da secretaria municipal de Saúde solicitando a possibilidade da liberação do recurso. “No mesmo dia assinamos e já devolvemos o documento para que o Poder Executivo pudesse enviar o Projeto de Lei”, relembra Fúlvio Boberg.

Deixe um Comentário