Jacarezinho

Emprego? Quem não quer?

Homero Pavan Filho*


Segundo dados do Governo Federal (Novo Caged), em 1º de janeiro (2020) Jacarezinho possuía 9.115 trabalhadores formais e em 30 de junho, 9.256 – saldo positivo de 141 novas vagas. Santo Antonio da Platina, município com a maior população do Norte Pioneiro do Paraná, possuía 9.084 empregos formais, número que caiu para 8.536 em 30 de junho (- 548).

Em Ourinhos (SP), eram 24.373 empregos formais em janeiro, enquanto no final de junho o saldo caiu para 23.482, ou seja, 891 empregos formais foram perdidos.

Percebam que, enquanto os dois maiores municípios vizinhos perderam vagas no primeiro semestre de 2020, aqui a situação não apenas se manteve como apresentou um leve crescimento – 141 novas vagas. E isso ocorreu sem que o novo Distrito Industrial esteja pronto, o que nos faz antever que poderemos melhorar significativamente este quadro.

Apesar da situação de estabilidade, a população jacarezinhense reclama mais oferta de empregos, e sonha com a atração de grandes indústrias. Nós também temos essa expectativa, a diferença é que sabemos das dificuldades e trabalhamos para superá-las.

Um dos gargalos é a falta de terrenos apropriados para a implantação das empresas, e por isso está-se investindo aproximadamente R$ 5 milhões em um novo Distrito Industrial, somando-se o valor pago no terreno mais as obras de infraestrutura – asfalto, manilhas, redes de água, esgoto e energia elétrica.

Bem utilizado, esse novo espaço poderá abrigar até 60 micro e pequenas empresas, e se cada uma delas gerar 10 novos empregos, estamos falando em 600 novas vagas de trabalho. Outras áreas terão que ser adquiridas e um trabalho de divulgação das vantagens competitivas de Jacarezinho será o próximo passo.

Estima-se que cada operário agregue três vezes o valor de seu salário bruto na transformação de produtos. Desta forma, pode-se estimar em R$ 2.700.000,00 de agregação de valores com esse número de novos empregos.

Em média é recolhido 18% sobre o valor agregado, ou seja, R$ 486.000,00 em ICMS. Como 18,75% do ICMS recolhido retorna ao município (75% do ICMS é repassado ao município na proporção do valor agregado que gera, e os outros 25% não dependem da produção), o aumento em arrecadação de tributos municipais, apenas com ICMS, seria da ordem de R$ 91.125,00/mês, e R$ 1.093.500,00/ano.

Complementando, como seriam criados, na hipótese em questão, R$ 900.000,00 mensais em salários diretos (média de R$ 1.500,00 por trabalhador), haveria ainda o incremento de ICMS gerado pelas transações comerciais decorrentes do aumento da carga salarial em Jacarezinho.

Há setores fortemente aquecidos em nosso município, como a construção civil, o de alimentos (supermercados), de reciclagem, o educacional e energia. Outros podem ser incentivados, como a agropecuária. Há 811 propriedades rurais em Jacarezinho, totalizando 49.769 hectares. Um emprego a mais em cada uma dessas propriedades teria efeito semelhante ao de um distrito industrial como o que estamos em vias de implantar.

*Homero Pavan Filho, jornalista, ex-secretário do Comércio e Indústria de Jacarezinho (2013-2020), pré-candidato a vereador pelo PDT

Deixe um Comentário