Paraná

Em live com Lupion, ministro diz que rodovias do Paraná pode receber até R$ 75 bilhões

Da Assessoria


Brasília – Durante uma live com o deputado federal Pedro Lupion (DEM-PR) nas redes sociais, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse que há expectativa de investimentos de R$ 75 bilhões nas rodovias paranaenses nos próximos anos. 

Desse valor, R$ 42 bi estão previstos para investimentos para modernização dos quase 4 mil km de malha rodoviária federal e estadual. “Vamos ter concessões modernas, eficientes, vamos trazer o que há de melhor e mais moderno nessa estruturação”, disse o ministro.

O deputado demonstrou preocupação com a questão dos pedágios do Paraná. “Fizemos reunião com o ministro e com o governador Ratinho Junior para buscar melhores preços, com qualidade de serviço e mais investimentos, para que os paranaenses consigam ver os recursos pagos efetivamente nas estradas”.

Tarcísio disse que há estudos para uma nova modelagem, a fim de melhorar os contratos de pedágio do Paraná e baratear as tarifas. A notícia animou o deputado, que enalteceu o ministro pelo trabalho feito no governo Jair Bolsonaro. “Conseguimos mostrar que o Brasil é possível, que as coisas podem acontecer”, disse Lupion.

Ainda sobre rodovias, o ministro disse que há projetos para pavimentação da rodovia Transbrasiliana (BR-153), que precisa de pavimentação no trecho entre Tibagi e Imbituva, e que há projetos para readequação do trecho Ventania-Ibaiti. A questão, agora, é obter recursos para as obras.

Ferrovias

Em outro momento da conversa ao vivo, Tarcísio de Freitas disse que também há estudos para fazer um redesenho da malha sul ferroviária “Desde o Rio Grande (do Sul), Porto Alegre, até o terminal de Sumaré, em São Paulo”. 

Além disso, a assinatura de acordo entre Mato Grosso do Sul e Paraná vai viabilizar a Nova Ferroeste e um corredor ferroviário para levar grãos dos dois estados ao Porto de Paranaguá.

“Isso permitirá o maior escoamento de grãos do país, já que só a produção agrícola que teremos neste ano, nos dois estados, produz um volume gigantesco a ser exportado por Paranaguá e também por Antonina”, afirmou Lupion.

Sobre os portos, aliás, Tarcísio elogiou os terminais paranaenses, os únicos a terem cumprido portaria do Ministério da Infraestrutura para ganhar autonomia na gestão portuária. E que há projetos ligados à ampliação do Porto de Paranaguá que podem render cerca de R$ 2,5 bi em investimentos.

“Claro que há questões de legislação ambiental, mas eu conheço projetos de grandes portos privados que querem estar aqui, no Paraná, porque a logística permite. Está havendo investimento necessário para que possamos transformar o nosso estado em um grande exportador de produção”, disse Lupion.

Agronegócio

Nesse tema, Tarcísio lembrou que o Paraná “tem um PIB maior que o Uruguai, é muito forte na indústria e, sobretudo, no agro, um estado onde o cooperativismo é muito forte, as maiores cooperativas do Brasil estão aí. É necessário melhorar a logística de rodovias, ferrovias, portos, aeroportos”.

Para completar, o ministro disse ainda que quatro aeroportos do estado devem receber R$ 1,9 bilhões em futuras concessões. São eles: Londrina, Foz do Iguaçu e dois em Curitiba – Bacacheri e Afonso Pena, que deve ganhar uma terceira pista, o que colocará a capital paranaense na rota de grandes voos internacionais.

“Eu tenho certeza que a logística do Paraná vai ser outra com o que está sendo desenhado no governo do Presidente Bolsonaro”, afirmou o ministro. 

Deixe um Comentário