Destaque Santo Antônio da Platina

Econorte deve interromper obras de viaduto na BR-153

Interrupção da praça de pedágio de Melo Peixoto tirou da concessionária o ramal da BR-153

Crédito: Antônio de Piccoli

Da Redação


O consórcio Triunfo/Econorte, concessionária que administra a rodovia BR-153 no trecho de pouco mais de 50 quilômetros entre Santo Antônio da Platina até o entroncamento com a BR-369 na divisa com estado de São Paulo, deve interromper as obras de construção do viaduto no quilômetro 41 da BR 153, no trevo de Santo Antônio da Platina. Ontem funcionários da empresa foram vistos retirando a estrutura do canteiro de obras, como banheiros químicos, além da remoção de máquinas pesadas.

A empresa, utilizando estrutura própria da Construtora Triunfo já construiu vias marginais e  alças de acesso à cidade. As novas marginais estão servindo de vias para a liberação da escavação da rodovia existente no local e futura construção do viaduto.

O quilômetro 41 da rodovia fica exatamente no principal acesso para quem viaja pela BR-153 e pretende entrar em Santo Antônio da Platina pela Avenida Frei Guilherme Maria. O mesmo trevo também liga a cidade pela rodovia ao bairro Santa Crescência, onde está localizado o Hospital Regional do Norte Pioneiro, a Universidade Brasil e o Parque de Exposições Alício Dias dos Reis.

A Tribuna do Vale, até por volta das 19 horas desta sexta-feira (28) não havia obtido uma manifestação oficial da concessionária, mas a assessoria de imprensa, em contato por celular, informou que a companhia emitiria uma nota oficial através da diretoria de São Paulo, o que indica que as informações coletada pela reportagem  efetivamente apontam que a construção do viaduto está sendo interrompida.

Motivação

De acordo com as fontes que abordaram o assunto com a reportagem, a decisão da Justiça Federal interrompendo o funcionamento das duas praças de pedágio instaladas pela Econorte na divisa com Ourinhos (SP) (Mello Peixoto), em Jacarezinho, retiro da empresa a maior fatia de faturamento representada pela exploração dos 50 quilômetros da BR-153, entre este local e Santo Antônio da Platina.

Além disso, a concessionária teve que retornar suas atividades à antiga praça de pedágio na divisa de Cambará com Andirá, na BR-369. A Econorte recorreu A Justiça Federal da 4ª Região, em Porto Alegre, objetivando, entre outras coisas, reverter a decisão de primeira instância, em Jacarezinho, mas conseguiu apenas desbloquear bens, sendo mantida a proibição das praças de Melo Peixoto.     

Prejuízo

Para a população de Santo Antônio da Platina e de quem trafega pela BR-153, são grandes os prejuízos caso seja efetivada a interrupção das obras do viaduto. O local apresenta graves riscos de acidente. Parte da infraestrutura já está quase concluída.

Várias obras complementares fazem parte do projeto a construção de de uma via marginal que faria a ligação entre a Avenida Frei Guilherme Maria e trevo de acesso ao povoado da Platina pela PR-439 (Rodovia Estadual Deputado Benedito Lúcio Machado).

A construção de um viaduto na BR-153 é uma reivindicação antiga da comunidade local. Em 2009, o Ministério dos Transportes chegou a confirmar a obra através de uma emenda parlamentar do então deputado federal Chico da Princesa. O projeto inicial previa a aplicação de R$ 19 milhões para a conclusão da obra que tinha prazo de um ano para ser entregue. O obra chegou a ser confirmada no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), mas mudanças no orçamento da União não permitiram que o projeto saísse do papel.

O ponto onde está sendo construído o viaduto é palco de vários acidentes, a maioria sem vítimas, mas que deixam o trânsito no local lento, já que boa parte do tráfego naquele trecho é de veículos pesados.  Há pouco mais de três anos, a instalação de semáforos e a melhoria da sinalização horizontal proporcionaram mais segurança no trecho, mas ainda assim, o local registra acidentes com frequência, sendo um dos pontos mais perigosos do trânsito de Santo Antônio da Platina.

Deixe um Comentário