Policial

Disque Denúncia tem número recorde de registros em 10 anos

Na comparação de janeiro a agosto deste ano com o mesmo período de 2019, o aumento das denúncias chega a 60%
CRÉDITO: AEN

Agência Estadual 


O número de informações repassadas ao Disque Denúncia 181 nos oito primeiros meses deste ano foi o maior registrado durante o mesmo período nos últimos dez anos. De janeiro a agosto de 2020 foram inseridas no banco de dados do Centro Integrado de Denúncias 181 mais de 33,5 mil denúncias. Maior credibilidade no serviço e o anonimato garantido são os principais fatores para o aumento, de acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública.

Na comparação de janeiro a agosto deste ano com o mesmo período de 2019, o aumento das denúncias chega a 60%. Nos oito primeiros meses de 2020 foram 33.567 denúncias, 12.680 a mais que as 20.887 no mesmo período em 2019. O aumento é de 76% em relação aos oito primeiros meses de 2018, quando foram registradas 19.073 denúncias. Em 2020, foram inseridas no sistema do 181 uma média de 137 denúncias por dia relacionadas a diversos crimes.  

“Procuramos sempre reforçar nosso trabalho para fornecer, cada vez mais, um serviço de eficiência para a população. O Disque Denúncia 181 é um programa que funciona há anos e já colaborou com diversas ações desenvolvidas pelas forças policiais do Estado. É de extrema importância, pois é uma das formas que colabora para unir cidadão e forças policiais”, afirmou o secretário da Segurança Pública do Paraná, Romulo Marinho Soares.

Para ele, outro fator que motivou a população a denunciar é a confiança no trabalho prestado pelo programa. “O cidadão paranaense está mais próximo da segurança pública e sabe que somente com as denúncias conseguiremos chegar aos grandes criminosos e à elucidação de diversos crimes”, completou o secretário.

Segundo o coordenador do Disque Denúncia 181, capitão André Henrique Soares, o número de denúncias tende a aumentar a cada ano, devido à confiabilidade da população no sistema. “As pessoas estão ligando mais, estão procurando a integração com as instituições públicas, para que os crimes possam ser apurados e os resultados possam ser alcançados em prol da segurança pública e da proteção das pessoas. Fazendo um comparativo em relação ao mesmo período dos últimos dez anos, os números desse ano estão bem acima em relação aos anos anteriores”, informou.

O núcleo de atendimento do Disque Denúncia 181 do Paraná conta com profissionais capacitados para a coleta de informações via telefone e, também, com um sistema totalmente informatizado no site do programa, o que colabora para que a população tenha facilidade de acesso. Pelo site também é possível inserir imagens que auxiliem nas investigações policiais.

DENÚNCIAS 

Entre as denúncias registradas de janeiro a agosto deste ano, o mês com maior volume foi julho, quando 4.864 novas informações foram repassadas ao órgão, seguido pelos meses abril, com 4.442 denúncias e janeiro, com 4.251. A média mensal foi de 4,1 mil. 

De acordo com a secretaria estadual, o aumento no número de informações repassadas ocorreu também em função da ampliação do sistema, que inicialmente recebia apenas informações relacionadas ao tráfico de drogas e, agora, recebe de diversos outros crimes. 

As denúncias relacionadas ao tráfico de drogas ainda lideram os registros. Em 2020, foram 14.090 informações relacionadas a esse tipo de crime – 42% do total. Em segundo lugar estão as denúncias de crime ambiental (5.094 denúncias), seguida pelas de maus-tratos a animais domésticos (3.947) e daquelas de violência contra crianças e adolescentes (1.168), mulheres (1.084) ou idosos (975).

Entre as denúncias em maior volume nos oito primeiros meses deste ano estão ainda as relacionadas com a pandemia do coronavírus. O Disque Denúncia 181 recebeu 1.354 informações sobre o tema no período. 

“Entendemos que a pandemia também tem uma parcela no aumento desses números. As pessoas ficaram mais em casa, se conscientizaram mais e isso contribuiu para o aumento de denúncias, mas é apenas uma parcela das ligações. Percebemos que as pessoas realmente estão ligando, sendo bem atendidas, e estão recebendo atenção de nossos profissionais, que têm cada vez mais interesse em receber a denúncia e em ouvir as pessoas”, destaca o capitão André.

Deixe um Comentário