Siqueira Campos

Disputa eleitoral começa quente em Siqueira Campos

Paulo Lima – [email protected]


Nos bastidores, nas redes sociais e nas entrevistas aos meios de comunicação, os pré-candidatos estão se “digladiando”. O atual vice-prefeito, Luiz Henrique Germano (MDB), tem tentando se desvincular de todas as formas do atual prefeito Fabiano Lopes Bueno (PSB), provavelmente achando que este vínculo seria negativo politicamente.

No entanto, este esforço parece em vão, pois ele ficou por seis anos junto com Fabiano, teve sala e cargos importantes na prefeitura, como, por exemplo, o de diretor do Departamento de Administração, e teve companheiros nomeados por ele na prefeitura. 

Germano já foi questionado porque não renuncia ao cargo de vice-prefeito, mas além de continuar ganhando quase sete mil reais por mês, ainda continua usando a estrutura da prefeitura, para fazer política. 

O vice-prefeito também vem sendo questionado pelos concorrentes,  se ele fez esquemas e fraudou a licitação para contratar seu filho músico para tocar no carnaval da Alemoa de 2019, porque quer continuar como pré-candidato. 

Ainda contra o Germano tem a pressão de que as contas de 2019 vão ser reprovadas porque ele deixou de investir os 25% determinados por lei na educação, deixando o setor perecer, se não fosse a intervenção da atua secretária de educação, as crianças teriam ficando sem o “kit escolar”  (material Escolar). 

O emedebista ainda está sendo questionado se fez política com as inaugurações das obras que estavam praticamente prontas e era só para finalizar. Uma dessas obras entregues a população esta gerando uma dor de cabeça para o atual prefeito, pois, segundo informações, a USB – Unidade Básica de Saúde do  Bairro Nascente do Sol, foi entregue mas não foi finalizado o convenio com o Ministério da Saúde,  e para eles a obra não esta pronta e a prefeitura pode ter que devolver os R$ 750 mil  ao Governo Federal. 

Germano além dos problemas administrativo da sua gestão de oito meses, ainda tem que lidar com os apoios que vem recebendo. Toda articulação política está sendo gerida pelo Juarez Francisco Leal, o Daio, que é assessor da Casa Cível  e articulador do Governo Ratinho n região.  

Só que o Daio não atravessa um bom momento político, ele vem sendo acusado de fazer,  “rachadinha” com seus dois filhos que estão lotados em gabinetes da Assembleia Legislativa do Paraná e da Câmara dos Deputados. 

Além disso, pesa contra os filhos do Daio a acusação de que seriam  funcionários fantasmas, pois tem outras atribuições em Call Center de empréstimos consignados para pensionistas e aposentados.

Em Siqueira Campos. Daio também vem sendo acusado por pessoas envolvidos na Operação Mustela, movida pelo GAECO. Eles acusam o assessor  de participar na montagem do esquema dos fura-filas do SUS, que levou a prisão médicos e diretor de hospital em Campo largo. 

Outro que vem sofrendo ataques dos próprios concorrentes é o Efraim Bueno de Morais, ele vem sendo questionado se vai poder ser candidato em Siqueira Campos, já que ele estaria inelegível na última eleição em Quatiguá, onde teve que colocar sua filha para concorrer as eleições. 

Manezão que também vem sendo atacado pelos concorrentes, a argumentação contra o presidente da Câmara é de que ele é próximo demais do atual prefeito  Fabiano Lopes Bueno que estaria com alta rejeição. 

Nenê Palmonari, esse vem sendo “crucificado” porque teria recebido um barracão da prefeitura para mera especulação imobiliária, sem gerar empregos, só para ganhar dinheiro, e, pelo fato que ele mora em Curitiba e não conhece os problemas de Siqueira Campos. 

Aloisio Guerra vem sendo atacado, os concorrentes tem o chamado de professor de Deus, de arrogante e militante do PT, partido tem uma certa rejeição na região. 

Deixe um Comentário