Santo Antônio da Platina

Diretora deixa o cargo e aumenta rumores sobre venda da Fanorpi

Instituição vive instabilidade desde que proprietários foram presos em setembro do ano passado; saída de Graça Zurlo e indefinições aumentam

Graça Zurlo dirigiu a instituição por sete anos
CRÉDITO: Arquivo Pessoal

Da Redação 


Graça Zurlo não é mais diretora da Fanorpi. A professora anunciou seu desligamento da faculdade, localizada em Santo Antônio da Platina, em seu perfil em redes sociais durante a tarde de ontem (15), após sete anos à frente da instituição. 

A saída de Graça aumenta os rumores sobre uma possível venda da Fanorpi, que atualmente pertence ao grupo Uniesp (União Nacional das Instituições de Ensino Superior Privadas), que possui diversas faculdades no Brasil. Apesar dos rumores, que surgiram ainda no ano passado, não há confirmação oficial sobre nenhum tipo de negociação da instituição. 

O texto postado por Graça Zurlo diz o seguinte: “Aos amigos (professores, colaboradores administrativos, alunos e comunidade do Norte Pioneiro e Sudoeste de São Paulo): comunico que não ocupo mais a diretoria da Faculdade de Santo Antônio da Platina – Fanorpi pertencente ao grupo Uniesp. Quero agradecer a todos pelo apoio recebido ao longo dos sete anos que juntos procuramos fazer da Fanorpi referência de Ensino Superior, tanto em número de alunos como nas avaliações do MEC”. 

A reportagem da Tribuna do Vale tentou contato com a ex-diretora, porém, ela não atendeu e não retornou as ligações feitas em seu celular. 

O cenário aumenta a preocupação em alunos, que desde o ano passado vivem incertezas com o futuro da instituição e convivem com problemas, como a situação ocorrida em setembro do ano passado quando a faculdade ficou dias sem aula por um impasse com uma empresa elétrica que acabou retirando um transformador devido a uma suposta falta de pagamento pelos serviços prestados à Fanorpi. Após muita reclamação, o problema foi sanado. 

ESCÂNDALO

Os proprietários da Uniesp foram presos em setembro de 2019 acusados de supostas fraudes na concessão do Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior) e na comercialização de vagas e transferências de alunos do exterior (principalmente Paraguai e Bolívia) para o curso de Medicina. 

Logo após a divulgação da notícia, que repercutiu nacionalmente, a Tribuna do Vale e o Tá no Site foram procurados por diversos alunos da Fanorpi que também acusaram a instituição de lesar os acadêmicos em um programa da faculdade que garantiria financiamento total dos cursos através do FIES. Entretanto, segundo as reclamações, posteriormente os alunos descobriam que seriam eles próprios os responsáveis pela quitação dos financiamentos. 

Deixe um Comentário