Cambará

Depen garante fim do surto de Covid-19 na cadeia de Cambará

Unidade prisional teve até fuga em massa após revolta de presos por contágio em praticamente toda população carcerária

Da Redação


O Depen (Departamento Penitenciário do Paraná) garante que o surto de Covid-19 na Cadeia Púlbica de Cambará chegou ao fim. Duas semanas após praticamente todos os detentos testarem positivo para a doença, o período de incubação do vírus chegou ao fim e os presos não apresentam sintomas, além de terem acompanhamento médico.

Em nota enviada à Tribuna do Vale, o Depen afirma que não houve registro de novos casos de Covid-19 na detenção de Cambará, até porque a unidade prisional foi isolada e não pode receber novos detentos. Também não houve e não há previsão de transferência de presos para outras cadeias de maior porte.

Quanto aos servidores, o Depen informa que há apenas um agente afastado, mas passa bem e não apresenta sintomas. O Departamento Penitenciário garante ainda que todos os devidos cuidados continuam sendo tomados, como restrição de visitas, limpeza contínua de ambientes, higienização de viaturas e veículos de remoção se tornaram rotina. 

Além disso, desinfecção de ambientes compartilhados (como corredores, refeitórios, pátios e canteiros de trabalho dos detentos) está ocorrendo com maior periodicidade. A limpeza é feita diariamente com aspersão de água sanitária. 

Os detentos também trabalham na produção de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), como máscaras e aventais, além de álcool em gel e produtos de limpeza. Presos e servidores têm de duas a quatro máscaras à disposição, além de álcool em gel e sabão para higienização das mãos. Os agentes que têm contato direto com detentos com suspeita ou confirmação da doença contam ainda com equipamentos como óculos e capa, por exemplo. 

SURTO E FUGA

O surto de Covid-19 na Cadeia Pública de Cambará teve início no começo de setembro. No dia 11 o Depen realizou a transferência de 12 detentos infectados com o vírus. Alguns dias depois uma nova testagem em massa diagnosticou 118 presos e dois servidores com a doença, em um total de 129 exames realizados.

O surto acabou por gerar uma revolta entre os presos e uma consequente fuga em massa. Na madrugada do dia 22 a detenção registrou a fuga de 34 presos, que cavaram um túnel e conseguiram acesso ao Tiro de Guerra de Cambará, vizinho à unidade prisional.

Todos os presos que fugiram estavam positivados para a Covid-19 e posteriormente houve a informação de que apenas dois deles haviam sido recapturados. No momento da fuga a cadeia tinha aproximadamente quatro vezes mais detentos do que a capacidade máxima da estrutura.

Deixe um Comentário