Geral

Depen admite transferência de presos da cadeia de Jacarezinho

Crédito: Lucas Aleixo

Lucas Aleixo, especial para a Tribuna do Vale

O Depen (Departamento Penitenciário do Paraná) admite fazer a transferência de presos da cadeia pública de Jacarezinho para outras unidades prisionais, porém, não dá nenhuma previsão de quando a possível medida pode acontecer. De acordo com os últimos números divulgados, o local conta com 119 presos em uma estrutura projetada para abrigar 40 homens e mulheres.

Entretanto, a realidade da cadeia pública de Jacarezinho pode ser muito mais séria do que se tem abordado ultimamente. A óbvia superlotação, reclamações de condições insalubres para os presos, um suposto número defasado de agentes condizentes com a população carcerária e, neste cenário, um consequente risco de fuga.

Existe o consenso geral entre funcionários e o Poder Judiciário de que o local está muito longe do ideal – e recebeu há não muito tempo a vistoria de promotores de Justiça e outras autoridades. Entre os familiares dos encarcerados, as reclamações também são constantes e abrangem diferentes aspectos, que vão desde o convívio de condenados com presos aguardando julgamento até as condições estruturais, apontadas como “precárias e desumanas”.

Existe a expectativa de que haja uma transferência de presos para que as condições tanto dos detentos, quanto dos agentes possa melhorar.

O Depen, que administra a cadeia de Jacarezinho desde novembro do ano passado, afirmou por meio de nota apenas que avalia a transferência de presos e que levanta as condições estruturais da unidade para definir quais serão as medidas prioritárias a serem tomadas.

CONSTRUÇÃO DE CDR

Claro que este problema é nacional e reflete a crescente população carcerária para um número muito insuficiente de vagas em presídios e carceragens. Por isso está em discussão a construção de um Centro de Detenção e Ressocialização em Jacarezinho, com investimentos do governo federal na casa dos R$ 25 milhões.

Já foram realizadas audiências no município com o objetivo de discutir a questão, que é polêmica e não tem aceitação total por parte da população, entretanto parece ser a única opção para resolver o problema da superlotação da cadeia.

Com a construção do CDR, seriam abertas 760 vagas para presos. Quem pleiteia a obra é o próprio Poder Judiciário de Jacarezinho. O Depen, já há alguns anos, avalia a construção do novo presídio, mas até o momento não há previsão de quando o projeto irá efetivamente sair do papel.

Deixe um Comentário