Santo Antônio da Platina

Denúncia de vereadores gera dois inquéritos na Polícia Civil

38ª DRP investiga suspeita de crime peculato envolvendo secretário e calunia contra três vereadores


Inquéritos instaurados na 38ª DRP investigam crimes de peculato e calúnia
CRÉDITO: Antônio de Picolli

Da Redação

Uma denúncia apresenta por três vereadores de Santo Antônio da Platina, Rudinei Esteves (MDB), o Rudi, como é mais conhecido, José Jaime Mineiro e Genivaldo Marques (ambos PSDB), veiculadas na Tribuna do Vale gerou a abertura de dois inquéritos na 38ª Delegacia de Polícia Civil do município. O primeiro atende uma reclamação apresentada pelo secretário de Obras da prefeitura, José Panegada, que, se dizendo vítima de calúnia praticada pelos parlamentares, registrou Boletim de Ocorrência e pediu abertura de inquérito policial.

A segunda investigação é resultado de outra representação apresentada por Mineiro, Rudi e Genivaldo, que acusam Panegada de crime de concussão (crime praticado por funcionário público, em que este exige, para si ou para outrem, vantagem indevida, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas em razão dela. O crime é punido com pena de reclusão, de dois a oito anos, e multa).

A Polícia Civil platinense resolveu abrir dois inquéritos em razão da natureza distinta das duas acusações. De um lado vereadores acusam um servidor público exercendo cargo em comissão (de confiança), de utilizar equipamentos e servidores públicos na realização de obras em propriedades particulares. De outro, o servidor, se dizendo inocente, registrou BO denunciando seus acusadores da prática de crime de calúnia (atribuir a alguém, injustamente, a prática de crime).

Histórico

Diante da denúncia de que máquinas e servidores da prefeitura de Santo Antônio da Platina estavam sendo utilizados em serviços particulares, os vereadores procuraram, no dia 20 deste mês, o Gepatria – Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa, órgão do Ministério Público Estadual (MPE) com sede nesta cidade, denunciando a administração do prefeito José da Silva Coelho Neto (PHS), o Professor Zezão, como é mais conhecido. Eles foram orientados a obter mais detalhes do que seria o uso de patrimônio público em benefício de particulares em detrimento do restante da população rural que vive um dos piores momentos de sua história em razão do abandono das estradas do município.

Os denunciantes registraram imagens em fotos e vídeos das máquinas da prefeitura na propriedade do produtor rural Matheus Dutra Zanata, onde foram realizadas obras de terraplanagem e cascalhamento. Segundo eles, a propriedade, que possui granja de frangos, abrigava há cerca de 10 dias os maquinários do município, que estavam ao relento e sem a necessária segurança.

Mineiro, Genivaldo e Rudi devem retornar ao MPE, nesta sexta-feira (30), para formalizar uma denúncia minuciosa, com informações precisas das acusações que relataram à reportagem.

Outras denúncias

O mesmo Gepatria havia recebido dias antes denúncia através de um abaixo assinado dos moradores do Bairro dos Glória, que têm ficado isolados por conta do estado precário da via que liga a comunidade à BR-153. Produtores de leite não conseguem entregar o produto nos laticínios e alunos ficam sem aula pela absoluta impossibilidade de tráfego.

Nesta semana outros moradores da zona rural denunciaram que, para sepultar um rapaz que morreu supostamente de infarto, precisaram utilizar uma carreta puxada por um trator para transportar o caixão, já que o veículo da funerária não conseguiu chegar à propriedade rural pelo estado precário da estrada.

Reincidência

Mineiro, Genivaldo e Rudi informaram que há semanas vêm recebendo denúncias do uso ilegal do maquinário da prefeitura em serviços particulares, mas tiveram o cuidado de aguardar a confirmação para que não ocorressem injustiças. Recentemente um vídeo enviado aos denunciantes mostrava máquinas pesadas e um caminhão basculante da prefeitura em uma obra na zona rural. O próprio secretário Panegada foi interpelado vereador Mineiro sobre este caso, mas o mesmo alegou não ter conhecimento, porém, demonstrando que reconhecia os equipamentos como sendo do município.

Deixe um Comentário