Santo Antônio da Platina

Delegado investiga briga de adolescentes em escola

Denúncia foi formalizada por pai, inconformado por colegas filmarem e incentivarem briga

Da Redação


Uma briga entre adolescentes, ocorrida numa escola de Santo Antônio da Platina, em que vários estudantes incentivavam e filmavam as meninas se esmurrando e puxando os cabelos acaba de virar investigação policial.

Na tarde desta terça-feira (12) o delegado titular da 38ª Delegacia Regional, Rafael Pereira Gabardo Guimarães, desta cidade, determinou a confecção de boletim de ocorrência circunstanciado para apurar o fato.

As agressões ocorreram nos dias 22 e 26 de fevereiro. Inconformado com a exposição em redes sociais da briga envolvendo sua filha, o pai da adolescente, o aposentado Osmar Moreira da Silva registro boletim de ocorrência na delegacia e denunciou o fato na redação da Tribuna do Vale, assinalando que situações como essa estão banalizando a violência escolar, a partir do momento que os próprios alunos incentivam e divulgam as agressões entre estudantes.

Gravidade

O que chamou a atenção do delegado é que a briga entre as duas adolescentes foi gravada por outros alunos adolescentes e compartilhada no Whatsapp.

Segundo Rafael Guimarães a participação das pessoas que compartilharam as imagens será apurada e a conduta dos adolescentes que incentivaram a briga e gravaram também será investigada.

O delegado Rafael Guimarães analisa o episódio dizendo que “é sinal de que algo não está certo em nossa sociedade quando duas adolescentes trocam socos e chutes em público e outras pessoas preferem ficar filmando e incentivando a contenda ao invés de apartar o conflito. É preciso educar e estimular a civilidade.

Infelizmente as pessoas preferem fazer o mau uso da tecnologia e se satisfazem em ver e divulgar pessoas em má situação. O procedimento foi instaurado justamente pra tentar incutir na mente destes adolescentes que não é dessa forma que se torna um ser humano decente e responsável”.

O nome das adolescentes envolvidas e demais informações sobre o fato não podem ser divulgadas em razão de disposições legais previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Pai inconformado

A cenas de violência e covardia gravadas por um grupo de adolescentes de Santo Antônio da Platina, e divulgadas nas redes sociais, causaram revolta e indignação na família de uma estudante de 13 anos,. Em duas situações distintas e sem motivos para tamanha brutalidade, a vítima foi espancada por outra adolescente da mesma idade e a sucessão de agressões filmada por um grupo de estudantes que parecia vibrar com o confronto.

As gravações estão em poder da Polícia Civil, e agora um inquérito investiga o caso e deve punir os responsáveis. O estado de choque e inconformismo levou o pai Osmar Moreira da Silva a chamar a atenção de toda a sociedade para casos de violência no ambiente escolar, bastante comum nos estabelecimentos de ensino – segundo os próprios organismos de segurança, e que na opinião do aposentado deveriam ser debatidos com mais prioridade.

“É muito triste saber que um filho seu foi espancado por outra pessoa e que ninguém fez absolutamente nada para impedir a violência. Pelo contrário, quem estava próximo fez questão de filmar as brigas e propagar as imagens absurdas na internet”, revela o aposentado.

Osmar explica que a família recebeu apoio da direção da escola e orientação por parte da Patrulha Escolar. “As providências já foram tomadas para que situações semelhantes sejam evitadas a outras crianças e adolescentes que convivem diariamente com o medo de se tornarem a próxima vítima”, adverte.

“Perguntei para a agressora sobre a razão de tamanha violência, mas ela não disse com coisa alguma. Depois disso, ainda recebi ameaças de um adolescente de 13 anos que teria filmado as brigas.

Ele disse que caso for chamado na delegacia irá até a minha casa para acertar as contas comigo. Infelizmente essa é a juventude que estamos preparando para o futuro da sociedade”, lamenta Osmar da Silva.

Deixe um Comentário