Carlópolis Policial

Delegacia de Carlópolis inaugura ala carcerária

Novo espaço tem capacidade para mais 39 presos. Unidade construída para apenas 15 detentos e chegou a acomodar 85 homens e mulheres

Solenidade aconteceu na tarde de terça-feira (15) na Delegacia de Polícia Civil.
FOTOS: Antônio de Picolli

Dayse Miranda, especial para Tribuna do Vale


A superlotação na cadeia pública de Carlópolis levou membros do Ministério Público, Judiciário e da Delegacia de Polícia Civil a tomarem providências para ampliar o espaço do sistema prisional, e oferecer, além de condições mais humanas, mais segurança na unidade policial. Na tarde de terça-feira, 15, foi inaugurada a nova ala que acomodará mais 39 presos. O investimento na unidade foi de aproximadamente R$ 150 mil, provenientes da Prefeitura, com aval da Câmara de Vereadores, tendo em vista que o imóvel pertence ao município e está cedido para uso do Governo do Estado. Diante das demandas que o prédio apresentava, foi realizada uma força tarefa no município para atender as necessidades emergenciais. Anteriormente, o local tinha capacidade para apenas 15 presos, mas já chegou a acomodar 85 homens e mulheres.

Nova ala carcerária foi construída com recursos municipais.
FOTOS: Antônio de Picolli

Segundo o prefeito Hiroshi Kubo, a ampliação foi necessária devido ao alto índice de criminalidade e superlotação que se encontra a carceragem, oferecendo, assim, condições mais humanas para os presos que aguardam julgamento. Kubo detalha que a cadeia pública possui vários condenados que deveriam estar cumprindo pena no sistema penitenciário há mais de cinco anos, e que ainda não foram transferidos. “A nova ala tem quatro celas, que juntas possuem capacidade para 39 presos. Como sabemos que é difícil vir recurso do governo para estes investimentos, optamos em fazer com recursos próprios. Já foram investidos cerca de R$ 150 mil, mas será necessário melhorar também o solário para evitar tentativas de fuga. Por isso, ao todo o investimento deve chegar a aproximadamente R$ 180 mil”, explica.

Nova ala carcerária foi construída com recursos municipais.
FOTOS: Antônio de Picolli

O prefeito salienta que a iniciativa da delegada Silmara Revoredo Pereira, junto ao Ministério Público e ao Judiciário foi fundamental, afinal, diante da superlotação, os presos vivem em condições desumanas e o risco de rebeliões é frequente. Kubo anuncia que o próximo passo será fazer a doação do prédio da Delegacia de Polícia para a Secretaria de Segurança Pública do Estado, juntamente com o apoio da Câmara de Vereadores.

A equipe de reportagem tentou localizar a delegada Silmara Revoredo Pereira para se pronunciar sobre o investimento na unidade, mas ela não foi localizada.

SUPERLOTAÇÃO – Em 2018, uma auditoria do Tribunal de Contas do Estado (TCE) comprovou superlotação de quase 200% nas cadeias públicas do Paraná. O relatório, inclusive, fez dezenas de recomendações ao governo do Estado, ao Tribunal de Justiça, à Defensoria Pública, ao Poder Executivo e outros órgãos para medidas. Entre as recomendações está: manter os condenados em estabelecimento penal apropriado à sua condição – afinal, além de estarem cumprindo pena em local inadequado, acabam contribuindo para a superlotação das cadeias públicas.

Deixe um Comentário