Santo Antônio da Platina

Corte de gastos gera rumores sobre fechamento do Patronato

Santo Antônio foi o 16º município do Estado a receber o programa; cerca de 50 mil atendimentos em menos de um ano

Dayse Miranda, especial para Tribuna do Vale


Patronato foi implantado em fevereiro de 2018 em Santo Antônio da Platina. FOTO: Antônio de Picolli

Rumores sobre o fechamento do Patronato Municipal de Santo Antônio da Platina têm causado certo desconforto no município, afinal, a instalação do projeto foi bastante difícil. A informação surgiu após o anúncio do governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), que determinou aos secretários de estado o corte de 20% nos gastos de cada uma das pastas – que tem por objetivo “enxugar a máquina pública”. Como os Projetos de Extensão estão na lista de cortes, a preocupação vai além, não apenas em relação ao Patronato, como também a outros projetos em funcionamento.

Implantado em fevereiro de 2018 por meio de uma parceria entre a Universidade Estadual do Norte Paraná (UENP) através do programa Universidade Sem Fronteiras, o projeto tem como parceiros o Poder Judiciário, a Prefeitura e a Faculdade de Santo Antônio da Platina (Fanorpi/Uniesp). Ou seja, funcionar no município de 45 mil habitantes foi uma vitória, e, vem desempenhando ações para a ressocialização de quem cumpre pena nos regimes aberto ou semiaberto.

O projeto oferece cursos de capacitação para o trabalho, encaminhamento para o sistema educacional, orientações psicológicas individuais e em grupo, incentivo à leitura e outras diferentes atividades. Santo Antônio foi o 16º município do Estado a receber o programa, que juntos, atenderam cerca de 50 mil pessoas no ano de 2018. Além disso, o projeto funciona como um suporte para acadêmicos e graduados dos cursos de administração de empresas, direito, pedagogia, psicologia e serviço social, que participam das atividades, recebendo bolsas-auxílio sob a supervisão de professores coordenadores. 


A coordenação do projeto informou que ainda não recebeu comunicado oficial sobre a não renovação do contrato. Mas vale destacar que é notória a importância do Patronato para aplicação de propostas efetivas com a finalidade de melhorar o sistema prisional do Paraná, buscando também a reinserção de apenados à sociedade de forma social, moral e financeira.
Procurada pela reportagem da Tribuna do Vale para comentar sobre o corte de gastos, a UENP se manifestou por meio de uma nota. “A Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) informa que ainda não recebeu comunicado oficial do Governo sobre o corte de recursos divulgado pela imprensa. A Reitoria da UENP acentua que, havendo uma notificação formal, entrará em contato com a Secretária da Fazenda para negociações. A Universidade informa ainda que o contingenciamento de recursos por parte do Governo foi uma ação comum também nos anos anteriores de outras gestões, motivo pelo qual houve negociações da Reitoria para suplementação dos recursos”.

Deixe um Comentário