Jacarezinho Paraná Saúde

Controle biológico reduz em 90% infestação de mosquito

Uso de machos estéreis do Aedes aegypti, no bairro Aeroporto, em Jacarezinho, dá resultados promissores em pesquisa

Lucas Aleixo – Especial para a Tribuna do Vale


O bairro do Aeroporto, em Jacarezinho, pode ser o berço de uma solução em âmbito nacional para a infestação do Aedes aegypti, o mosquito causador da dengue, entre outras doenças. Ontem (17) a empresa Forrest Brasil Tecnologia apresentou o balanço de um projeto de oito meses de duração que consistiu na soltura de 12 milhões de mosquitos machos estéreis com a consequente redução em 90% da infestação do mosquito.

Instalada no Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) de Jacarezinho, a empresa desenvolveu uma técnica natural, esterilizando mosquitos machos e soltando-os na natureza – lembrando que apenas a fêmea transmite dengue, zica e chikungunya. Como a fêmea copula uma única vez durante a vida, se a cópula for com um macho estéril então não haverá descendentes. Já se a cópula acontecer com um macho não estéril, uma fêmea pode gerar até dois mil novos mosquitos.

A equipe da Forrest manteve constante monitoramento sobre a área escolhida para ser a base do experimento. Paralelamente, uma segunda área, sem interferência externa, também foi monitorada. De acordo com a empresa, os resultados mostram a grande diferença e a eficiência do método.

Enquanto o Aeroporto, que em anos anteriores teve muitos casos de dengue e vivia situação considerada de risco, praticamente não registrou novos casos, a segunda área monitorada – Vila São Pedro e arredores – registrou um alto índice de infestação.

“Hoje Jacarezinho tem mais de 50 casos comprovados de dengue. Desse total, apenas três casos são de moradores do Aeroporto, e existe a desconfiança de que a doença possa ter sido contraída em outras áreas da cidade”, explica a coordenadora do projeto, Lisiane de Castro Poncio.

“Só temos a agradecer a colaboração da prefeitura, da vigilância sanitária, da Regional de Saúde e, principalmente, a toda a equipe que trabalhou muito para que chegássemos a esses resultados”, completa.

Para o prefeito de Jacarezinho, Sergio Eduardo Emygdio de Faria, o Dr. Sérgio (DEM), o município sediou um projeto que terá grande repercussão no combate ao mosquito. “Temos orgulho deste projeto piloto que será exemplo para o mundo. Agradecemos muito a equipe da Forrest pelo legado que estão deixando para Jacarezinho e para todas as próximas gerações. Agora vamos buscar uma alternativa para tentar ampliar este projeto e também levar esse método para Vila São Pedro, que hoje sofre com a infestação do mosquito, embora atualmente a gente tenha uma situação muito mais tranquila em relação a anos anteriores, quando chegamos a registrar óbitos por dengue hemorrágica”, detalha, se referindo as epidemias dos anos de 2010 e 2011.

Deixe um Comentário