Paraná

Contra Reforma da Previdência, manifestantes invadem Assembleia Legislativa

Com o clima tenso o presidente da Casa, Ademar Traiano, suspendeu a sessão

CRÉDITO: Divulgação – WhatsApp

Bem Paraná


O clima na Assembleia Legislativa do Paraná na tarde desta terça (3) ficou tenso. Apesar do reforço de segurança da Polícia Militar (PMPR), com o Batalhão de Choque no local, os servidores que protestam contra a reforma da Previdência no Estado invadiram a casa legislativa. O presidente da Alep, Ademar Traiano, chegou a suspender a sessão, mas reabriu por volta das 15 horas, com o plenário cercado pelo batalhão de choque da PM. Os servidores que invadiram a Assembleia ocuparam as galerias e o Hall atrás do plenário. Com o clima tenso o presidente da Casa, Ademar Traiano, suspendeu novamente a sessão pouco depois das 15h10. 

A polícia chegou a usar gás para dispersar os manifestantes na frente da Casa legislativa, mas eles entraram pela rampa de acesso aos gabinetes. De acordo com os sindicatos, uma pessoa teria ficado ferida, mas a informação não foi confirmada pela Polícia.

O trânsito ficou bloqueado na Avenida Cândido de Abreu, ao lado da Praça Nossa Senhora de Salete, por causa do protesto. A Rua Marechal Hermes também ficou fechada no acesso à praça. A estação-tubo Centro Cívico/Palácio Iguaçu foi desativada. 

O prazo para apresentação de emendas à Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da Reforma da Previdência terminou na segunda (2). Agora, há o prazo regimental de dez sessões para a Comissão votar o projeto. 

Outro lado

A respeito da greve dos professores e servidores públicos da rede estadual de ensino, o governo do Estado afirmou, por meio de nota, que a nova previdência do servidor público do Paraná segue rigorosamente a legislação aprovada no Congresso Nacional, após ampla discussão com os mais diversos setores da sociedade.

“Não se trata, portanto, de uma decisão casuística e sim de cumprir a obrigação de atualizar o marco legal dos regimes próprios de previdência dos Estados, adotando o novo preceito constitucional brasileiro”, diz.

Deixe um Comentário