Santo Antônio da Platina

Com pé quebrado há 10 dias, PS manda idosa para casa de novo

Ilda dos Santos Silva, de 62 anos, deveria engessar o pé nesta terça-feira (24), mas família diz que médico sequer atendeu a idosa 

Sem atendimento no PS, idosa teve que emprestar dinheiro para comprar bota ortopédica para o pé fraturado
CRÉDITO: Divulgação

Luiz Guilherme Bannwart


Depois de ser examinada pelo médico que atendia o plantão no Pronto Socorro Municipal no dia 14 de março e ser manda de volta para casa, a aposentada Ilda dos Santos Silva, de 62 anos, descobriu, quatro dias depois, que estava com o pé esquerdo quebrado. A idosa foi medicada e o PS agendou o retorno dela para esta terça-feira (24) para o procedimento ortopédico indicado. Contudo, mais uma vez, a paciente foi mandada de volta para casa sem engessar o pé.

“O médico sequer falou com ela. Veio uma enfermeira e mandou a gente comprar uma bota para imobilizar o pé da minha mãe dizendo para ela esperar em casa o novo agendamento para o procedimento médico. Uma desorganização total naquele lugar (Pronto Socorro), uma falta de respeito com a população, principalmente com os mais carentes, pois tivemos que emprestar dinheiro para comprar a tal bota para aliviar a dor que a minha mãe está sentindo há 10 dias. Isso é uma vergonha!”, desabafa kelly Ribeiro da Silva, filha da aposentada.

Procurada pela reportagem, a secretária municipal de Saúde, Gislaine Galvão, informou que iria conversar com a enfermeira e com a médica de plantão para entender o que ocorreu no Pronto Socorro, salientado que a determinação é para não dispensar pacientes sem atendimento médico.

A secretária também disse que entraria em contato com a família da aposentada para resolver o problema da forma mais rápida possível. 

Deixe um Comentário