Paraná

Colégio Sesi fecha mais de 2 mil vagas em todo Paraná

Sede do sistema Fiep em Santo Antônio da Platina
Créditos: Antônio de Picolli

Dayse Miranda, especial para Tribuna do Vale


O Colégio Sesi (Serviço Social da Indústria), que integra o sistema Fiep (Federação das Indústrias do Estado do Paraná), e atua no estado do Paraná há 15 anos, fechará no próximo semestre 2.100 vagas. A informação foi confirmada pelo serviço de imprensa da federação, sem detalhar em que cursos ou quais unidades esses cortes serão realizados.

Atualmente, a instituição conta com aproximadamente 10.700 alunos e, para 2021, vai reduzir o quadro para 8.600 matrículas. A justificativa para esta decisão, segundo a nota da Fiep, foi tomada frente ao atual cenário que o país enfrenta, considerando a viabilidade da oferta, o mercado local, a análise das necessidades da comunidade e da indústria paranaense.

Uma fonte, no entanto, que pediu anonimato, disse que a decisão do governo federal de cortar os repasses para o Sistema S, entre os quais estão incluídas todas as federações, de patronais a empregados, está afetando duramente o planejamento estratégico da instituição.

O Colégio Sesi garante que até o final de 2020, os alunos continuarão com as aulas normalmente. Atualmente, há mais de 40 unidades do Colégio Sesi espalhadas em diversas regiões do Paraná. Em Na região existem unidades da instituição em Santo Antônio da Platina, Jacarezinho, Bandeirantes e Cornélio Procópio.

Na mesma nota o Sesi informa que “as ofertas de cursos Senai, Faculdades da Indústria, EJA (Escola para Jovens e Adultos), assim como atividades de promoção de saúde e tecnologia e inovação serão continuados. Os municípios não deixarão de receber os serviços do Sistema FIEP, seja por unidade física, serviços on-line, cursos à distância ou pelas unidades móveis, com foco sempre em atender às necessidades da indústria paranaense”.

Cortes federais

Mesmo sem dar detalhes na nota, o Sistema S vem sendo duramente castigado por medidas do Governo Federal por meio da Medida Provisória (MP) 932/2020. Durante os meses de abril, maio e junho, em virtude da pandemia, o governo cortou em 50% as contribuições obrigatórias das empresas para financiamento de serviços sociais autônomos. As instituições do Sistema S afetadas foram: Sesi, Senai, Sesc, Senac, Sest, Senat, Senar e Sescoop.

O Congresso diminuiu para dois meses o período de redução das contribuições ao Sistema S, mas foi vetado pelo presidente da República Jair Bolsonaro. Com isso, o corte nas contribuições no mês de junho foi mantido.

Deixe um Comentário