Cultura Educação Santo Antônio da Platina

Colégio platinense lança projeto de leitura

Em iniciativa do Colégio Estadual Rio Branco aluno do Ensino Fundamental leu 56 livros

Por Fábio Galhardi – Especial para a Tribuna do Vale


Santo Antônio da Platina – Pesquisas desenvolvidas nas duas últimas décadas demonstram que uma das razões da queda da qualidade do ensino nas escolas brasileiras é a baixa adesão dessas instituições em programas de incentivo à leitura entre os alunos do ensino básico e fundamental. Esse tem sido o diferencial entre escolas que são ilhas de prosperidade cultural e a maioria com baixo desempenho intelectual de seus alunos.

Foi pensando em romper esta barreira que limita o desenvolvimento da comunidade escolar que levou a direção e professores do Colégio Estadual Rio Branco, de Santo Antônio da Platina, a desenvolver um projeto de leitura voltado aos alunos do ensino fundamental e médico que vem alcançando resultados surpreendentes. 

Na concepção dos idealizadores do projeto, quando há informação de que no meio escolar, determinado estabelecimento de ensino promove uma atividade envolvendo alunos com o intuito de aproximá-los da leitura, realmente é algo que merece atenção da sociedade em geral, visto que números oficiais provam que a leitura na idade mais adulta tem se enfraquecido com as pessoas deixando de lado a prática de folhear e ‘mergulhar’ nas histórias dos diversos gêneros que os livros trazem e contribuem para o enriquecimento cultural do ser humano.

Não se tem como negar que o Brasil vive a realidade de baixos indicadores de leitura por muitos anos, porém, evolução na primeira metade desta década pareceu ser um combustível para alentar novas expectativas. Dados oficiais apontam que de 2011 a 2015 os brasileiros colocaram em seus hábitos diários a compra de mais livros, consequentemente, lendo ou presenteando alguém, passando de 50% para 56%, totalizando 104,7 milhões de pessoas, quer dizer, a quantidade anual média de livros lidos por habitante passou de 4 para 4,96 e, os jovens, estão entre os que mantém o hábito de leitura. 

E, a Bíblia Sagrada, assim como livros que falam de assuntos religiosos, contribuíram para aquecer as vendas no País. Estas informações são da edição da pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, de 2016, aliás, o mais amplo estudo sobre o tema no País, realizado pelo Instituto Pró-Livro a cada quatro anos. A entidade deve anunciar publicamente uma nova versão em 2020.

O projeto

Diante dessa realidade o Colégio Estadual Rio Branco, de Santo Antônio da Platina, através das professoras Kelly Guarini Nalesso Soares e Sílvia Angélica de Camargo colocaram em prática, naquele estabelecimento, o Projeto “Quem será nosso maior leitor?”, que contou com o apoio da Bibliotecária Cleusa Pereira Nogueira e das professoras de Língua Portuguesa, Suzete Parpinelli do Amaral Toledo e Marina Cecília Maia, com colaboração indireta de professores de outras disciplinas, como o Professor e Doutor Fábio Gabriel.

A professora Kelly – uma das idealizadoras da iniciativa – esclareceu que o projeto teve objetivos a serem alcançados num todo. “Procuramos despertar no aluno o prazer da leitura e aguçar o seu potencial cognitivo e criativo; promover o desenvolvimento do vocabulário, favorecendo a estabilização de formas ortográficas; possibilitar o acesso aos diversos tipos de leitura na escola, buscando efetivar enquanto processo a leitura e a escrita; estimular o desejo de novas leituras; possibilitar a vivência de emoções, o exercício da fantasia e da imaginação; possibilitar produções orais, escritas e em outras linguagens; e proporcionar ao aluno através da leitura, a oportunidade de ampliar seus horizontes pessoais e culturais, garantindo a sua formação crítica e emancipadora”.

O projeto desenvolvido no Colégio Rio Branco aconteceu em dois períodos deste ano letivo, envolvendo 23 estudantes. No 1º Semestre foi entre os meses de abril e julho; e, no 2º Semestre, entre os meses de agosto e novembro. Como estímulo a organização do projeto fez a entrega de Certificados aos participantes, independente da quantidade de livros lido por cada aluno. Ainda de acordo com Kelly Nalesso, os primeiros lugares da parte da manhã e o da tarde, ganharam também brindes e valor em dinheiro, não revelado. O aluno que produziu mais através do projeto, sendo analisada sua ficha de respostas, também recebeu prêmio em dinheiro. Os cinco primeiros colocados da parte da tarde ganharam brindes doados por diversos colaboradores, como caneta, lápis, caneca, caderno, estojo, etc. Quem leu até cinco livros apenas ganhou certificado e brinde, como doces. Já os três melhores colocados da turma da manhã, também foram agraciados com os diversos mimos. O valor em dinheiro foi repassado apenas para os dois primeiros lugares.

Da turma da manhã o aluno Ariel Santos Carvalho, 15 anos, do 6º Ano ‘A’ do Ensino Fundamental leu 56 livros em quatro meses e foi homenageado por ser o primeiro colocado na lista de alunos participantes do projeto de estímulo para a leitura. Segundo a professora Kelly, “o Ariel também se destacou durante os dois semestres por apresentar em suas fichas de leitura argumentações eloquentes e sugerindo possíveis ‘finais de história’ substituídos em cada livro lido”.

No período da tarde foi homenageado o aluno Wellington Júnior Ozório da Silva Neves, 13 anos, do 6º Ano ‘B’ do Ensino Fundamental, por ter lido 41 livros. Os livros disponíveis foram de gêneros como contos, crônicas e poemas. “O projeto envolveu algumas regras, como por exemplo, o mínimo de páginas era de 40 para livros sem ilustrações e de 80 páginas para com ilustrações. Os alunos pegaram livros na média de mais ou menos 60 páginas. A cada livro lido existia uma ficha com perguntas desde o início ao fim do livro”, esclareceu Nalesso. 

Entre as perguntas da ficha que os alunos precisaram preencher estavam, por exemplo, quem são os personagens principais da história e local onde aconteceu; o fato narrado na história, quer dizer, a ideia principal do livro. 

As professoras Suzete Toledo e Marina Maia enalteceram a iniciativa e destacaram que “ler não é decifrar, escrever não é copiar, ler é muito mais que ter mérito, mas conhecer o que disseram os outros. Neste sentido o projeto de leitura faz algo acerca do qual valha a pena ler o que ninguém quer. Ler é sonhar pelas mãos de outrem, o melhor modo de ler bem e ser profundo; ler é conhecer a pessoa e o modo de pensar de alguém que lhe é estranho, é procurar compreendê-lo e sempre que possível, fazer dele um amigo”. 

Tanto a diretora do Rio Branco, Sônia Aparecida Justino Pires, como o diretor-auxiliar Antonio José de Oliveira, mais conhecido por ‘Tom Zé’, parabenizaram todos os envolvidos na iniciativa do projeto de leitura e destacaram que foi muito importante contar também com a presença dos pais no dia da premiação dos estudantes, que aconteceu no dia 19 de novembro, com início às 15h30, na quadra esportiva do próprio Colégio. “O projeto revela neste dia – por ocasião da entrega dos certificados – o resultado de esforços no sentido de realizarmos uma parceria entre família e comunidade escolar em prol da aprendizagem dos alunos”. E continuou a diretora: “Melhorando a capacidade de leitura dos nossos alunos estamos contribuindo para que eles tenham maior capacidade de aprendizagem nas mais diversas disciplinas visando formar cidadãos eficientes, conscientes e responsáveis em prol da transformação da sociedade”. 

Classificados período da manhã – 1º lugar – Ariel Santos Carvalho (56 livros); 2º lugar, empatadas com a leitura de 53 livros cada uma, Lavínia Vitória e Verônica de Carvalho Souza Cruz; 3º lugar, também empatadas, com 49 livros cada uma, Danielle Albino Dias Batista e Maria Eduarda Moreira. Leram menos de cinco livros: Welligton, Fernanda e Vitor Gabriel, que receberam brindes.

Classificados período da tarde – 1º lugar – Wellington Júnior Ozório da Silva Neves (41 livros); 2º lugar – Yasmin Roberta de Souza (25); 3º lugar – Kailane Dias Quinelato (22); 4º lugares, empatadas com 14 livros lidos cada uma: Giovana Caetano Faustino e Mariani Chagas Barbosa; 5º lugar – Camille Cristina da Silva Miranda e Maria Eduarda de Souza Davi, ambas com 11 livros lidos cada uma. Brindes para os alunos: Ana Júlia, Geovana, Caio, Rebeca, Bárbara, Daniel, Lavínia e Mariane que leram menos de cinco livros.

As coordenadoras do projeto informaram que no endereço eletrônico https://apmfcolegioestadualriobranco.blogspot.com/, que é o Blog do Colégio Estadual Rio Branco, podem ser encontradas diversas fotos do dia da premiação. Lá, também, está a divulgação de diversas atividades pedagógicas do estabelecimento desde dezembro do ano passado. Ainda de acordo com a finalidade do projeto de leitura da escola, alguns benefícios da leitura são: melhora o  funcionamento do cérebro; ler aumenta as conexões neurais, fazendo com que o cérebro funcione melhor; estimula a criatividade, proporciona mais inteligência; quando se lê muito, também melhora a escrita e o vocabulário.

O Dia do Leitor é comemorado no Brasil em sete de janeiro. Os dados de 2016, do Instituto Pró-Livro, revelam que o brasileiro lê, em média, 2,43 livros por ano.

Deixe um Comentário