Policial

Casa de suspeito de matar Emanuelle é incendiada

Luiz Guilherme Bannwart 


A casa de Aguinaldo Guilherme Assunção, assassino confesso da menina Emanuelle Pestana de Castro, de 8 anos, na semana passada, em Chavantes (SP), foi consumida por um incêndio na noite de domingo (19). Aguinaldo foi encontrado morto na última quarta-feira (15) – na cela em que estava sozinho – no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cerqueira César.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a casa estava vazia no momento do incêndio e ninguém ficou ferido. A polícia investiga se o incêndio foi criminoso.  

Ainda segundo a corporação, uma casa vizinha chegou a ser atingida pelas chamas, mas o princípio de incêndio foi controlado por moradores e com a ajuda de um caminhão-pipa da prefeitura, antes mesmo da chegada dos bombeiros.

O delegado responsável pelo caso, Gabriel Salomão, disse não há razão para a população promover justiça se a polícia já está encarregada disto. “Felizmente, a família do Aguinaldo já havia saído do local e ninguém ficou ferido. Não há porque a população quer fazer justiça contra a família dele, que não tem a ver com a história”, assinalou.

Emanuelle foi encontrada morta na segunda-feira (13), na zona rural de Chavantes, depois de três dias desaparecida. O suspeito Aguinaldo Assunção confessou à polícia que matou a menina com 13 facadas e indicou o local onde estava o corpo.

Ela brincava em uma praça de Chavantes no dia 10 de janeiro, quando desapareceu. Emanuelle foi enterrada na terça-feira (14) no Cemitério Municipal de Chavantes, sob forte comoção.

Deixe um Comentário