Carlópolis Saúde

Carlópolis está há 70 dias sem convênio para cirurgias eletivas

Secretário da Saúde diz que hospital de Campo Largo não manifestou interesse em renovar contrato

Da Redação


O município de Carlópolis está há mais de 70 dias sem realizar novos encaminhamentos para cirurgias eletivas ao Hospital Nossa Senhora do Rocio (HNSR), localizado em Campo Largo, região Metropolitana de Curitiba, com quem mantinha convênio para pacientes de média e alta complexidade. Por conta disso, o setor de saúde da prefeitura tem como única alternativa a utilização do SAMU – Sistema de Atendimento Móvel de Urgência, que encaminha pacientes para Londrina, Arapongas ou outro centro na região de maior especialidade, como Santo Antônio da Platina e Jacarezinho.
O secretário de Saúde de Carlópolis, Amauri Lopes de Camargo, explica que o problema não é da prefeitura, mas da própria direção do HNSR. Segundo ele, antes de vencer o convênio do Município com o hospital, o setor de saúde da prefeitura encaminhou uma proposta de renovação do contrato , mas não teria havido manifestação da outra parte, o que obrigou a Secretaria de Saúde de suspender os pagamentos.
Amauri Lopes não confirmou, mas uma fonte da área de saúde de Carlópolis informou que o convênio com o hospital de Campo Largo é estimado em R$ 40 mil mensais e que a manutenção de tal contrato não teria recebido aceitação por parte da instituição.
Uma outra fonte que conhece os detalhes do funcionamento da área de saúde do município garante que o contrato do município de Carlópolis com o Hospital Nossa Senhora do Rocio gera desconfiança, assinalando que outra instituição da região Curitiba teria manifestado interesse em formalizar convênio com o Município, a preços mais baixos que os praticados prestador de serviços oficial.
Segundo o secretario Amauri Lopes de Camargo, o convênio com o Hospital Nossa Senhora do Rocio se enquadra do TFD – Tratamento Fora do Domicílio proporcionado pelo SUS – Sistema Único de Saúde, que consiste na assistência integral à saúde, incluindo o acesso a pacientes que sejam de outros estados mas que residam foram de seu domicílio.
No caso específico de Carlópolis, segundo o secretário de Saúde, os pacientes que já estavam programados para atendimento em Campo Largo, isso ocorrerá normalmente. O problema, segundo ele, é que não ocorrerão novo agendamentos, até que o município efetive novo convênio.

Deixe um Comentário