Cambará

Cambará homenageia escritores da terra

Realização da 1ª Feira Literária de Cambará, no Espaço Cultural Nilza Furlan, movimenta meios culturais da cidade

Por Graça Maria.


Será aberta oficialmente, na próxima segunda-feira (19), a 1ª Feira Literária de Cambará (Felic), que será encerrada no dia 23. Após a abertura, será realizada uma homenagem a vários escritores, filhos da cidade, ou que residiram no município na infância, adolescência, e vieram a tornar-se escritores, muitos dos quais, citam suas passagens pela cidade, ou fatos ocorridos no município, e que marcaram suas vida.

Entre os escritores homenageados que lançaram sua obras enquanto residiam na cidade, estão Antonio Mair, popularmente chamado de “Totó”; Alice do Amaral Farias; Irmã Alba Pugas; Avelino Pinto, popularmente chamado de “Liga”; (já falecidos); Aristóteles Junior; Carlos Gnaspini; Waldisney Striquer, residindo atualmente em Palmas (TO); Edna Panichi, residente em Londrina; Ademir Honda; entre outros.

Também serão homenageados, o desembargador José Wanderley Resende (in memorian), nascido em Cambará, e que tornou-se escritor após deixar a cidade. Publicou um livro de poesias e diversos artigos técnicos; Osvald Guisard (in memorian), que ocupou o cargo de prefeito de Cambará por alguns meses, no início de sua emancipação. Escreveu o livro “Os Torturados”, de 1944, em que relata vários acontecimentos do começo do município.

Outro lembrado nas homenagens é Raul Vaz, que nos anos de 1920 morou na cidade e escreveu o livro “Lupion”, sobre o trabalho do ex-governador Moises Lupion; Wilson Galvão do Rio Apa (in memorian), conhecido como W. Rio Apa, também viveu a infância no município. Escreveu 16 romances, dois contos, sete ensaios, e 10 peças de teatro; 

Nair Trautwein Pinheiro, que viveu grande parte de sua vida na cidade, também é lembrada. Residindo em Curitiba, ditou para a sua neta, Denise Francisco Castelo Branco, o livro “Recordações de Nair”, que relata muito do que viveu na infância e juventude; Altino Berthier Brasil, residente atualmente em Porto Alegre, estando atualmente com 95 anos. Na infância, viveu em Cambará. Coronel da Reserva do Exército, arma de Infantaria, pertencente ao Quadro do Magistério Militar, tem oito livros  sobre a Amazônia.

A lista dos homenageados inclui também o engenheiro agrônomo Edson Roberto Vaz Ronqui, residente em Pinhalão. Viveu sua infância e parte da adolescência na cidade; Terê Zagonel, nascida em Cambará, reside atualmente em Curitiba.

Escreveu o livro de poesias, “Do lápis ao pincel”, sobre o trabalho gráfico que sempre desempenhou; Desembargador Nestor Duarte, residindo atualmente em São Paulo, viveu sua infância em Cambará, onde ainda mantém laços estreitos. Escreveu livros e artigos acadêmicos na área do direito. Além dos cambaraenses, escritores da região também serão homenageados.

Deixe um Comentário