Jacarezinho

Câmara repassará R$ 300 mil para mais um médico no Pronto socorro

Com a contratação de mais um profissional, Santa Casa quer eliminar a demora no atendimento

Marcos JuniorJacarezinho


O Presidente da Câmara de Vereadores de Jacarezinho, Fúlvio Boberg (MDB) assinou nesta terça-feira (6) documento que vai permitir ao Legislativo repassar R$ 300 mil para auxiliar na manutenção do Pronto Socorro. Com esse dinheiro será possível a contratação de mais um médico para atendimento das 18 às 22 horas, ampliando dessa forma a capacidade da unidade de saúde em atender a população.

“O documento da Secretaria Municipal de Saúde chegou no início da tarde. Já assinamos e retornamos ao Poder Executivo. Agora será feito um projeto de lei para votação na Câmara de Vereadores autorizando a liberação do dinheiro. Realizaremos sessões extraordinárias para agilizar a tramitação da matéria”, explica Fúlvio Boberg.

No mês de julho os vereadores Fúlvio Boberg, Nilton Stein, Patrícia Martoni, Chiquinho Mecânico e Luiz Carlos do Nascimento estiveram na Santa Casa de Jacarezinho e conheceram a situação do hospital. “Todos os vereadores estão empenhados para que esta situação seja resolvida urgentemente, pois a instituição vive um momento difícil”, explica o vereador.

O Presidente da Santa Casa, o médico Nilton José de Souza explicou que mesmo com o atendimento da Unidade Básica de Saúde Central funcionando à noite, o número de atendimento não diminuiu no Pronto Socorro. “Continuamos com a mesma demanda, necessitando de um segundo médico”, explica.

Assim que votado pelos vereadores e sancionado pelo prefeito Sergio Faria, a medida poderá ser implantada imediatamente. “Iremos convocar os vereadores para agilizarmos o debate e votação viabilizando mais um profissional para o atendimento no Pronto Socorro e diminuir o tempo de espera de quem procura atendimento médico”, observa Fúlvio Boberg.

O Presidente da Santa Casa explicou que um dos maiores questionamentos dos pacientes é a demora no atendimento na unidade hospitalar. “O médico está realizando o atendimento, chega uma urgência, ele é forçado a se deslocar para fazer os procedimentos emergenciais em outro paciente. Isso, acaba prejudicando o atendimento das pessoas que estão aguardando no Pronto Socorro. Um segundo médico elimina este problema”, justifica Nilton José de Souza.

Deixe um Comentário