Jacarezinho

Câmara rejeita projeto e inviabiliza infraestrutura no parque industrial

Recursos na ordem de R$ 3,5 milhões do Estado financiaria obras para gerar mais de 600 empregos diretos

Da Assessoria


Inacreditável! Por quatro votos contra três a Câmara de Vereadores de Jacarezinho rejeitou um projeto do prefeito Sérgio de Faria (DEM) o Dr. Sérgio, como é mais conhecido, pelo qual o município pedia autorização para contratar um financiamento junto ao Governo do Estado para a construção de infraestrutura no Distrito Industrial III, às margens da BR-153.

A decisão dos vereadores surpreendeu a comunidade de Jacarezinho, principalmente porque o empreendimento permitiria a instalação de, pelo menos 60 empresas, com previsão de geração de mais de 600 empregos diretos. O projeto de lei solicitando autorização legislativa para a contratação de operação de crédito junto à Agência de Fomento do Paraná com vistas à implantação de infraestrutura necessária para o funcionamento do Distrito Industrial III, era aguardado com grande expectativa pela comunidade.

O financiamento de R$ 3,5 milhões financiaria obras de drenagem, redes de água, esgotamento sanitário e energia elétrica, bem como pavimentação e iluminação pública. A área, com 113 mil metros quadrados, está localizada no trevo de acesso à Avenida Brasil, saída para Santo Antônio da Platina, e o loteamento já está registrado no Cartório de Registro de Imóveis.

Os vereadores Sidnei Francisquinho, o Chiquinho Mecânico, André de Sousa Melo, o Pastor André, José Izaías Gomes, o Zola e, Luiz Carlos Nascimento, que presidia a sessão, votaram contra o projeto. Nascimento, como é mais conhecido, na ausência do presidente da Casa, Fúlvio Boberg, presidiu a sessão e exerceu o voto de desempate (minerva). Os vereadores Diogo Biato, Edilson da Luz e Patrícia Martoni foram votaram a favor.

Indignação
A decisão dos vereadores foi recebida com indignação por setores expressivos da comunidade, numa clara repulsa à rejeição de um projeto que geraria empregos e renda para a comunidade jacarezinhense. Um dos inconformados é Odemir Capello, coordenador regional do Sebrae-PR, entidade que participou ativamente da elaboração do projeto aprovado pela Agência de Fomento do Paraná.

O prefeito protocolou a solicitação dos recursos em agosto, por intermédio do deputado estadual Mauro Moraes, e recebeu sinal verde para envio da documentação necessária para a contratação do financiamento. Os projetos estão prontos e foram elaborados pelo engenheiro civil Cláudio Chomiski, com o apoio do Comitê Gestor de Desenvolvimento Empresarial e Sebrae-PR.

Em reunião realizada no último dia 29, representantes do Comitê Gestor receberam a boa notícia do prefeito. O Comitê trabalha junto à Secretaria Municipal do Comércio, Indústria, Turismo e Serviços para auxiliar a administração municipal na melhoria do ambiente de negócios, com incentivos e ações que incrementem a economia municipal. Todo esse trabalho é frustrado pela ação claramente política dos quatro vereadores.

“As pequenas e médias empresas precisavam de um local adequado para se instalarem e se desenvolverem, e o novo Distrito Industrial, pela localização e estrutura planejada, iria proporcionar excelentes condições aos empresários”, lamenta Odemir Capello.

O secretário de Comércio, Indústria e Turismo, Homero Pavan Filho, visivelmente frustrado, se disse desanimado com o que está acontecendo. Ele lembra que o prefeito Dr. Sergio, estava planejando desapropriar outras áreas para gerar mais empregos, mas diante da ação nefasta desses vereadores, se vê compelido a recuar. “Sinceramente me pergunto se objetivos políticos pessoais estão acima dos interesses da comunidade. É lamentável”, desabafa.
O projeto de lei foi protocolado no dia 11 de novembro e votado no doa 25/11.

Deixe um Comentário