Carlópolis

Câmara rejeita CEI, mas caso vai para o Ministério Público

Denúncia será protocolada no núcleo de MPPR em Curitiba que investiga agentes públicos

População lotou o auditório da Câmara de Vereadores; Hiroshi acompanhou a sessão
CRÉDITO: Antônio de Picolli

Da Redação


A Câmara de Vereadores de Carlópolis, em sessão realizada na noite de terça-feira (26), rejeitou por unanimidade denúncia com pedido de abertura de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar supostas irregularidades administrativas envolvendo o prefeito desta cidade, Hiroshi Kubo (PSDB).

População lotou o auditório da Câmara de Vereadores; Hiroshi acompanhou a sessão
CRÉDITO: Antônio de Picolli

Oito dos nove membros da Casa (o presidente só vota em caso de desempate), inclusive os vereadores de oposição ao prefeito, votaram pelo arquivamento da denúncia, com a justificativa de que as supostas irregularidades apontadas seriam inconsistentes e não revelam prejuízos aos cofres do Município.

Foi uma sessão concorrida, com grande público. O prefeito mobilizou seus cargos de confiança para levar parentes e amigos a fim de mostrar força. Ele mesmo compareceu, sentando-se na primeira fila, chegando a tirar selfies durante a reunião.

Agradecido

Hiroshi Kubo postou nas redes sociais texto em agradecimento “a todos que se solidarizaram comigo neste período que antecedeu à histórica sessão da câmara de vereadores na noite de terça-feira (26)”, assinalando que os vereadores rejeitaram por unanimidade as denúncias protocoladas por Rafael Tavares dos Reis.

“Os vereadores que fizeram uso da palavra argumentaram que alguns fatos já haviam sido objetos de denúncia e arquivadas pela justiça, outras irregularidades já haviam sido sanadas ou não tinham a consistência suficiente para instaurar a investigação”, complementa, destacando que o teor das denúncias não se referia a apropriações e nem deram prejuízo ao erário público, não justificando a instauração de procedimento contra o prefeito.

Ministério Público

O denunciante Rafael Tavares dos Reis, após a sessão de terça-feira considerou deplorável o comportamento dos vereadores, deixando de cumprir seu papel constitucional de fiscalizar os atos do Poder Executivo. Ele informou que vai levar o caso ao Núcleo de Combate aos Crimes Praticados por Agentes Políticos Municipais, órgão do Ministério Público Estadual (MPE), sediado em Curitiba.

Além do prefeito, ele pretende denunciar o presidente da Câmara de Vereadores, João Aparecido de Camargo (PV), mais conhecido por Hulquinho, apontado como funcionário fantasma da prefeitura desde que se elegeu pela primeira vez, há três legislaturas. Ele é servidor municipal concursado, mas não trabalha e recebe seu salário regularmente.

Outro que deverá ser denunciado no MPE é o vereador Humberto Benedito Domingues (PSDB), mais conhecido por Galinha, que é marido da secretária de Assistência Social, Fabiele Abucarub Domingues, cuja saída da administração municipal teria sido recomendada no início de 2018, pelo Grupo Especializado na Proteção do Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria), órgão do Ministério Público sediando em Santo Antônio da Platina. A recomendação, no entanto, não teria sido acatada até hoje em razão das ligações políticas de Humberto com o prefeito Hiroshi Kubo.


Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: