Cambará Política Santo Antônio da Platina

Baixo nível na imprensa marca pré-campanha eleitoral deste ano

Nomes cotados para a disputa eleitoral são alvo de cobertura tendenciosa de parte da mídia regional

Da Redação


O atual prefeito de Cambará, José Salim Haggi Neto (MDB) foi surpreendido semana passada ao ser alvo de uma “reportagem” publicada num veículo da imprensa eletrônica regional onde é apontado como fora da disputa eleitoral deste ano e, de quebra, viu sua honra jogada no esgoto ao observar que o eleitorado cambaraense estaria propenso a vota em candidatos “sem traços de corrupção”.

No texto, Haggi Neto, como é mais conhecido, é apontado como responsável por uma “gestão errática, desagregadora e incompetente” e deixa claro sua simpatia por dois pré-candidatos opositores, os vereadores Walcir Joaquim e Márcio Albertini, que estariam ensaiando uma dobradinha. Em nenhum momento Haggi Neto teve a oportunidade de se manifestar, expor sua defesa nos ataques que recebeu.

Em Jacarezinho e Santo Antônio da Platina a situação não é diferente. Um jornal impresso publicou textos envolvendo nomes que são apontados como prováveis pré-candidatos. Há poucos dias foram alvo do jornal os vereadores Pastor André e Chiquinho Mecânico (ambos do PSL), que se apresentam como pré-candidatos. Ambos são apontados como pivô de um escândalo sexual, sem ter o direito de se defenderem. Pastor André registrou uma queixa criminal contra o diretor da publicação.

Esta semana outro político, não identificado no texto, foi alvo da mesma publicação. O jornal aponta que o mesmo estaria sendo investigado pela polícia por suposto envolvimento sexual com uma menor de idade que, numa suposta festa, teria consumido drogas.

Já em Santo Antônio da Platina, o mesmo veículo de comunicação eletrônica que atacou a honra do prefeito de Cambará, desta vez elegeu como alvo o ex-prefeito Pedro Claro de Oliveira Neto (PSD), apontado como pré-candidato ao executivo e visto como um dos mais fortes concorrentes no pleito deste ano.

Mais uma vez as regras básicas da ética jornalística são jogas no lixo quando é negado ao político o direito de se defender. Com intenção clara de confundir os eleitores platinenses, Pedro Claro aparece no texto como candidato a vice-prefeito numa suposta chapa que seria liderada pelo ex-vereador Valdir do Foto (DEM), quando na verdade é o contrário. Pedro é pré-candidato a prefeito, e Valdir cotado como seu vice.

Com intenção nítida de provocar insegurança na população, o texto atribui ao pedessista mais idade que tem e supostas “cardiopatias” que limitariam sua capacidade de governar a cidade.

“É de dar náuseas este tipo de jornalismo criminoso. Essa farsa chamada que dão nome de reportagem tem que ser denunciada e os responsáveis processados judicialmente. Pelo jeito o Ministério Público e a Justiça Eleitoral terão muito trabalho este ano. Da nossa parte vamos tomar as medidas contra esses crimes”, desabafa Pedro Claro.  

Deixe um Comentário