Jacarezinho

Jacarezinho apura os prejuízos milionários com tempestade

Dezenas de casas foram duramente afetadas com temporal desta quarta-feira

Montagem em vídeo que circula nas redes sociais dá a dimensão da intensidade da tempestade

Da Redação


O dia 19 de agosto de 2020 ficará marcado na memória de grande parte dos moradores de Jacarezinho pela data em que o município viveu a pior tempestade de sua história. Em alguns pontos da cidade o cenário é de destruição e os prejuízos são milionários, causados pelas rajadas de vento.

Embora o estrago ainda não tenha um balanço oficial dos prejuízos, até pela dificuldade de comunicação dos órgãos públicos em virtude da pane total nos serviços de telecomunicações, sabe-se que foram dezenas de casas afetadas, carros atingidos por árvores e também prédios públicos avariados pela força do vento.

No bairro Nossa Senhora das Graças, próximo ao bairro Aeroporto, foram muitas as casas total ou parcialmente destelhadas. No centro da cidade e no Parque Bela Vista também foram muitas residências afetadas, com destelhamento, muros caídos e vidros quebrados.

Mesmo no dia seguinte ao temporal, alguns pontos de Jacarezinho seguem sem energia elétrica e sem sinal de celular e internet. Apesar da CPFL Energia (Companhia Paulista de Força e Luz) ter colocado mais de 30 equipes nas ruas da cidade, os estragos foram muitos e ainda há postes e fios destruídos. Quase a totalidade da zona urbana ficou por mais de 10 horas consecutivas sem fornecimento de energia.

Outra situação que ainda persiste diz respeito a algumas ruas interditadas pelas árvores, mesmo com os serviços ininterruptos tanto das equipes da CPFL quanto da prefeitura.

A Avenida Manoel Ribas foi um dos locais mais afetados e teve a queda de pelo menos 15 árvores em sua extensão e segue com um trecho sem possibilidade de trânsito ainda na tarde de quinta-feira.

A princípio sabe-se de duas pessoas que ficaram feridas durante a tempestade. Uma menina teria sido atingida por uma telha e precisou ser encaminhada para Londrina e um homem estava dentro de um dos carros atingidos por uma árvore – por ser cardíaco acabou agravando a situação, mesmo sem maiores danos físicos. Até o fechamento desta matéria não havia mais novidades sobre as vítimas, que seguiam internadas.

A prefeitura iria decretar estado de emergência para tentar agilizar o processo de atendimento às vítimas. De acordo com os Bombeiros, como não havia telefone, muitas pessoas se dirigiram até o quartel da corporação para pedir ajuda. Apenas na quarta-feira foram distribuídos 13 mil metros de lonas para serem usadas na cobertura de casas destelhadas.

Entre prédios públicos, sabe-se que as escolas José Pavan, Rui Barbosa e Imaculada Conceição tiveram danos, principalmente nos muros. A sede da Ciretran também foi atingida por estruturas do Centro de Ciências da Saúde (antiga Faculdade de Educação Física) da UENP (Universidade Estadual do Norte do Paraná), que fica do outro lado da rua.

FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA

E foi justamente o prédio da UENP que acumulou a maior destruição causada pela tempestade. Praticamente todo o detalhado do campus ficou completamente destruído e há graves danos estruturais no refeitório, com risco de interdição imediata pelo temor de desabamento.

Estes danos já são responsáveis por um prejuízo estimado inicialmente na casa de R$ 1 milhão, mas existe a possibilidade de que muitos aparelhos de laboratórios e salas também tenham sido danificados, já que ficaram expostos à chuva e ao granizo após o telhado ser destruído. Isso acarretaria em prejuízos bem maiores à instituição.

Deixe um Comentário