Esporte Paraná

Atletas do Norte Pioneiro participam de maratona na Serra do Rio do Rastro

CRÉDITO: Divulgação

Da Redação


Atletas da equipe Acorrenorpi (Norte Pioneiro paranenese) participaram no dia 31 de agosto da Uphill Marathon 2019, na Serra do Rio do Rastro, em Santa Catarina, considerada a maior maratona de subida do Brasil e uma das provas mais concorridas do país. 

A corrida foi disputada por 3.100 atletas, em provas de 25, 42 e 67 quilômetros. Os participantes enfrentaram frio, chuva e vento forte. No final dos percursos muitos atletas apresentaram quadro de hipotermia.

O atleta Carlos Dropa representou Santo Antônio da Platina na prova dos 42 km, concluindo em 5h18. Segundo ele, a prova foi muito difícil, mesmo tendo em seu currículo cinco maratonas, cinco meias-maratonas e várias São Silvestres foi uma das provas mais difíceis que já participou, pois “durante o percurso o tempo mudou e deixou a subida da serra ainda mais difícil, sendo que nos quilômetros finais era impossível correr devido à elevação do trajeto, que chega a 2.000 metros, e o vento forte em consequência da chuva, mas estávamos preparados para maratona”, disse o platinense.

Carlos Dropa agora participará de uma Ultra Maratona no fim do ano, correndo 12 horas. Mesmo com compromissos pessoais de trabalho ele consegue conciliar os treinos, principalmente nos finais de semana.

Outros atletas da equipe Acorrenorpi também participaram da corrida: José Gomes, 70 anos, da cidade de Santa Amélia, concluiu a prova em 5h30, obtendo a segunda colocação em sua categoria; Clodoaldo Theodoro, da cidade de Abatiá, concluiu a prova em 4h48; e o atleta Rafael Fernandes, da cidade de Carlópolis, participou de sua primeira maratona concluindo a prova em 5h21.

Todos os atletas que concluíram a prova receberam o título de “Maratonistas Ninjas”, devido à dificuldade do desafio. Os corredores já planejam disputar novamente a prova em 2020.

A equipe Acorrenorpi possui mais de 140 atletas no Norte Pioneiro, São Paulo e Curitiba, que disputam diversas provas todo final de semana. Carlos Dropa observa que as maiores dificuldade são transporte e recursos para as inscrições, pois a equipe não possui patrocinadores ou qualquer outro tipo de apoio, o que torna os objetivos mais difíceis para os atletas, tendo em vista que muitos não possuem condições financeiras nem transporte para participarem das corridas. Contudo, “mesmo sem ajuda, cada um dá seu jeito e, na maioria das corridas, a equipe se destaca como maior grupo participante”, explica Carlos Dropa salientando. “Estamos abertos para empresas e órgãos públicos que queiram patrocinar a equipe”, conclui.

Deixe um Comentário