Santo Antônio da Platina

Aposentada relata prejuízos após obras da prefeitura

Secretário de Obras diz que problema vem de muitos anos, mas se dispõe a encontrar solução

Aposentada diz que obras da prefeitura causaram danos estruturais em sua casa
CRÉDITO: Divulgação

Da Redação


Uma aposentada, moradora do Jardim Colina Verde, em Santo Antônio da Platina, reclama que as obras de infraestrutura no bairro causaram diversos problemas estruturais em sua casa, desde rachaduras em praticamente todos os cômodos, até o muro já condenado. Segundo a moradora, os problemas são consequência da ‘invasão’ de águas pluviais em seu quintal.

Jandira Farias, funcionária pública municipal aposentada, teve que improvisar uma passagem de madeira para poder sair de casa, já que a calçada, abaixo do nível da rua, vira uma lagoa em dias chuvosos. 

Um sobrinho da aposentada entrou em contato com a Tribuna do Vale para relatar o problema. De acordo com ele, já foram realizadas várias reclamações junto à prefeitura, mas até hoje nenhuma medida efetiva foi tomada. “Já falamos com todo mundo, menos com o prefeito, que a gente nunca acha. O pessoal até jogou terra no quintal dela, mas só fez mais barro. O problema é que arrumaram a rua, que ficou mais alta que a casa dela, então toda água escorre e empoça no muro ou até mesmo no quintal. Resultado: a casa rachou inteira e o muro está caindo”, critica. 

“Aqui nunca vi uma fiscalização para acompanhar a empresa terceirizada que fez as obras, nunca vi um engenheiro, o pessoal vem, faz do jeito que bem entende e vai embora. Agora como uma aposentada que mora sozinha e ganha salário mínimo vai pagar um prejuízo que passa de R$ 15 mil? Nem no córrego ao lado da casa dela, eles fizeram o serviço direito. Ao invés de colocar manilha deixaram pior do que estava e com água dentro da casa da minha tia e de outras famílias também”, continua. 

Outro problema relatado pelo sobrinho de dona Jandira diz respeito à metragem do lote. “Quando fizeram a rua pegaram dois metros do terreno. É só ver a escritura e medir o terreno. Faltam dois metros. É um prejuízo atrás do outro”, reclama. 

OUTRO LADO

O secretário municipal de Serviços e Obras Públicas de Santo Antônio da Platina, Everton José Panigada, reconhece a existência do problema, mas diz que é uma situação que vem de anos. Contudo, ele se dispõe a buscar uma solução. “Ali é um problema que já existe há muitos anos. Inclusive eu já conversei com a senhora que mora naquela esquina e realmente a casa está abaixo do nível da rua. De qualquer forma estamos à disposição para encontrar uma solução dentro das nossas possibilidades”, garante. 

Sobre a questão da metragem, o secretário também se mostra solícito ao problema levantado. “Em nenhum momento nós ‘alargamos’ as ruas, mas se tem essa metragem a menos precisa ser corrigida porque não é justo com os moradores. Só que eu deixo claro novamente que isso também é uma situação antiga, e nós estamos à disposição para resolver”, completa.

Deixe um Comentário