Destaque Santo Antônio da Platina Saúde

Ana Micó assume direção geral do Hospital Regional

Considerada uma das piores secretárias de saúde da história de Santo Antônio da Platina ganha cargo de presente

Ana Micó assume a chefia do Hospital Regional do Norte Pioneiro nesta terça-feira
CRÉDITO: Antônio de Picolli / Arquivo

Da Redação


Uma notícia divulgada na tarde de sábado (26) pegou de surpresa a comunidade platinense e regional. A atual secretária municipal de Saúde de Santo Antônio da Platina Ana Cristina Micó da Costa assume nesta terça-feira, 29, a direção geral do Hospital Regional do Norte Pioneiro (HRNP). A informação, divulgada no Blog do Marcos Junior, teria sido repassada pela própria Ana Micó, como é mais conhecida, por telefone, no final da tarde de sexta-feira, 25.

Segundo a nota divulgada pelo blog, o convite teria partido do secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Gebrim Preto, o Beto Preto, e do presidente da Fundação Estatal de Atenção em Saúde do Estado do Paraná (FUNEAS) Marcello Augusto Machado, órgão gestor do hospital desde que a unidade foi estadualizada. O ato de nomeação deverá acontecer no Hospital Regional, às 14h30 desta terça-feira.

O que causa surpresa na nomeação de Ana Micó é seu desempenho à frente da Secretaria de Saúde do município. Ela é tida como uma das piores profissionais a ocupar o cargo nos últimos anos, sendo responsável, em grande parte, pela baixa avaliação da gestão do prefeito José da Silva Coelho Neto, o Professor Zezão (PSH).

Durante esses 25 meses que respondeu pela Saúde de Santo Antônio da Platina, sua gestão pode ser definida como um “desastre”. Administradora sem iniciativa, incapaz de manter um canal de comunicação com a comunidade e tida como insensível diante de muitos casos escandalosos, ela agora recebe de presente o posto de diretora geral de um hospital que tem sobre si a responsabilidade de atender a uma região com mais de 200 mil habitantes.

Alívio

A notícia da saída da ex-secretária está sendo comemorada por servidores da Saúde, justamente porque ela nunca se abriu ao diálogo com os colegas de trabalho. Nos momentos cruciais, em que era necessária uma decisão firme e imediata de Ana Micó, ela nunca estava presente. Sequer atendia o celular.

Para a maioria das lideranças locais consultadas pela reportagem, a saída de Ana Micó da pasta soa como um alívio ao prefeito Zezão, que não teve pulso para demiti-la nos momentos mais agudos da crise no setor de saúde.

Desumanidade

A gestão do setor de saúde nesses mais de dois anos da ex-secretária foi uma sucessão de fatos escandalosos, na maioria das vezes com a complacência do prefeito Zezão. Famílias vivendo a dor da espera de oito horas com um parente morto dentro de um carro funerário em frente ao Pronto Socorro, esperando que o prefeito ou a secretária determinassem a algum médico a assinatura do atestado de óbito.

Foram dezenas de fatos vergonhosos que custaram a vida de pacientes. Entre tantos outros, há o registro de um caso envolvendo uma professora que atuava no distrito de Conselheiro Zacarias, que esperou por horas para ser atendida no Pronto Socorro. Quando perceberam a gravidade da situação, chamaram uma UTI móvel, que a cidade não tem. Até que uma unidade viesse de outra cidade para socorrer a paciente, ela não resistiu, morrendo instantes depois de dar entrada na UTI da Santa Casa de Jacarezinho.

Mais grave: questionada pelo repórter Juninho Queiroz sobre a inexistência de uma UTI móvel do Samu em Santo Antônio da Platina, ela saiu com a desculpa de que não seria necessário tendo em vista que as unidades de Jacarezinho, Cornélio Procópio e Ibaiti, atenderiam as necessidades da cidade. Os quilômetros que separam as base do Samu dessas localidades ou mesmo a indisponibilidade das viaturas custaram vidas, como a da professora platinense.

A reportagem questionou algumas lideranças da região se teriam sido consultadas sobre a indicação da ex-secretária da saúde de Santo Antônio da Platina para a direção geral do Hospital Regional. Todas, indistintamente, informaram que foram apenas comunicados da posse que ocorre na tarde desta terça-feira. Nem mesmo o prefeito de Ribeirão Claro, Mário Augusto Pereira (PSC), que preside o Consórcio Intermunicipal de Saúde do Norte Pioneiro (Cisnorpi) foi consultado. Por telefone, ele disse que estará presente na posse de Ana Micó e que vai conversar com ela, pedindo para a nova chefe do HRNP ser “atenciosa e humana com os pacientes”. Só faltava não ser atenciosa e humana!

Deixe um Comentário