Ex-prefeito de Pinhalão é preso novamente pela Polícia Federal

Claudinei Benetti e mais três pessoas são acusados de participação em desvios de verbas para construção do frigorífico do peixe

Da Redação

Claudinei Benetti é acusado de liderar esquema que teria desviado cerca de R$ 4 milhões da União

Por determinação do juiz federal Marcos Josegrei da Silva, da 9a Vara Federal de Curitiba, a Polícia Federal (PF), em ação deflagrada na manhã de quarta-feira (3), prendeu novamente o ex-prefeito de Pinhalão, Norte Pioneiro do Paraná, Claudinei Benetti, e mais três pessoas vinculadas a um suposto golpe que teria gerado um prejuízo de R$ 4 milhões à União.

Além de Benetti, foram presos Sidnei Bueno de Oliveira, Manoel Carlos de Carvalho de Oliveira e Levi Maria da Cunha, todos acusados dos mesmos crimes envolvendo desvios de recursos para a construção de um frigorífico para industrialização de peixes bancado com recursos do extinto Ministério da Pesca, projeto orçado em mais de R$ 13 milhões e que deveria beneficiar milhares de micros e pequenos produtores de dezenas de municípios de uma das regiões mais pobre do Paraná.

Caixa d’água, parte da obra que mostra a grandeza do empreendimento, inviabilizado pela corrupçao

O ex-prefeito e os demais acusados haviam sido presos temporariamente no dia 3 de dezembro do ano passado, mas foram liberados por decisão de uma juíza federal de plantão na Vara Federal de Curitiba. Outro magistrado, Marcos Josegrei da Silva, com base no artigo 589 do Código de Processo Penal (CPP) reconsiderou a decisão e determinou nova prisão dos acusados, desta vez, preventivamente. Segundo a reportagem apurou, dois dos acusados estão presos em Curitiba e outros dois na Polícia Federal de Londrina.

Segundo investigações da PF, o valor desviado de um repasse de R$ 13 milhões pagos pela União ao Município para a realização de seis obras na cidade, entre 2010 e 2015. O Ministério Público Federal (MPF) e a Controladoria-Geral da União (CGU) colaboraram nas investigações.

Frigorífico do Peixe, obra abandonada e prejuízo milionário

Na ação deflagrada no início de dezembro passado, além das prisões, foram realizadas cumpridas ordens de buscas e apreensões nos municípios paranaenses de Pinhalão (12 mandados); Joaquim Távora (três); Tomazina (dois); Pinhais e Umuarama (um cada).

A operação denominada “Café Expresso” investiga desvios de recursos públicos de R$ 4 milhões, oriundos da União, recebidos pela Prefeitura de Pinhalão para aplicação em obras daquela cidade, entre as quais o chamado Frigorífico do Peixe, projeto que tinha objetivo de incentivar a piscicultura comercial numa das regiões mais pobres do Paraná.

A unidade industrial foi projetada para beneficiar milhares de micro e pequenos produtores rurais

O empreendimento beneficiaria dezenas de cidades, mas acabou sendo inviabilizado por desmandos e desvios ocorridos durante a construção e aquisição de equipamentos.

Sair da versão mobile