Capa

Contrato emergencial para gerir SAMU gera suspeitas

A Ezco Gestão em Saúde assume o serviço no lugar da OZZ Saúde, que foi administrada pelo mesmo diretor da atual empresa

Da Redação

A comunidade do Norte Pioneiro recebeu na manhã de segunda-feira (16), a informação de que uma nova empresa, a Ezco – Gestão em Saúde, desde às 7 horas daquele dia assumiu a gestão do SAMU – Serviço de Atendimento Médico de Urgência, entidade envolvida há semanas numa polêmica sobre atrasos salariais por parte da gestora OZZ Saúde, que teve o contrato de prestação de serviços rescindo pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde (Cisnop), sediado em Cornélio Procópio.

A OZZ respondia pela gestão de unidades espalhadas por várias cidades na jurisdição das regionais de Saúde de Cornélio Procópio e Jacarezinho, num total de 43 municípios. Há muito a empresa vinha sendo alvo de denúncias, principalmente de seus funcionários.

A crise chegou a tal ponto que o Cisnorpi – Consórcio Intermunicipal de Saúde do Norte Pioneiro, presidido pelo prefeito de Jacarezinho, Marcelo Palhares, resolveu romper com a matriz do SAMU em Cornélio Procópio e assumir o controle do atendimento de urgência em sob a jurisdição da 19ª Regional de Saúde.

No entanto, enquanto isso não ocorre na prática, as cidades da região continuam recebendo atendimento do SAMU centralizado em Cornélio Procópio, com sua credibilidade dissolvida num mar de escândalos em que aparecem funcionários da instituição tendo que recorrer à “vaquinhas” solidárias para poder comprar comida para suas famílias já que não recebem seus salários e outros direitos trabalhistas.
Detalhes estranhos
Nos bastidores da gestão pública regional sabe-se que o Cisnop repassou uma fortuna para a OZZ, mas esta não pagou seus funcionários. Como devedores solidários, a exemplo do que está acontecendo no Hospital Regional do Norte Pioneiro, Cisnop, Cisnorpi e Secretaria Estadual de Saúde, poderão ser obrigadas a pagar a conta das indenizações trabalhistas.

O que adiciona ainda mais ácido nesta história pra lá de corrosiva é a informação de que um dos administradores da atual empresa, a Ezco Gestão em Saúde, Eduardo Flávio Zardo, foi o principal executivo da antecessora, a OZZ Saúde, que deu calote milionário em seus trabalhadores.

A Ezco assumiu a gestão do SAMU do Norte Pioneiro sem licitação. Por R$ 1.685.775,15 pelo prazo de 90 dias, prorrogáveis por igual período, ela assume a responsabilidade de atender com serviço móvel de urgência os 43 municípios das duas microrregiões.

Esse detalhe gerou uma série de manifestações de prefeitos da Amunorpi, mas nada poderá ser feito enquanto o Cisnorpi não assumir a gestão definitiva do SAMU nos municípios ligados à 19ª Regional.

Até agora, a única manifestação pública foi feita em vídeo pelo presidente do Cisnop e prefeito de Santa Cecília do Pavão, Edimar Santos em que fala do rompimento do contrato com a Ozz e da contratação emergencial da Ezco.

Enquanto isso, os funcionários continuam sem receber e as ambulâncias em estado precário. Quem teve coragem de protestar ganhou a demissão e assim segue o tratamento à saúde pública no Norte Pioneiro.

Procurado pela reportagem o presidente do Cisnop, Edimar Santos não atendeu a ligação em seu celular e nem retornou a mensagem deixada no wattsapp.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Uia!!!