Geral

Boletim semanal da dengue registra mais quatro óbitos no Paraná

Os dados são do 36º Informe Epidemiológico, do novo período sazonal da doença, que iniciou no dia 1º de agosto e segue até julho de 2022. Dos 374 municípios que registraram notificações de dengue (93,7% do Estado), 309 já confirmaram a doença (77,4%)

AEN

O boletim semanal da dengue publicado nesta terça-feira (03) pela Secretaria de Estado da Saúde confirma mais quatro mortes em decorrência da doença, aumentando para nove o número total de óbitos no Paraná. Os dados são do 36º Informe Epidemiológico do novo período sazonal da doença, que iniciou no dia 1º de agosto e segue até julho de 2022. Os pacientes que morreram eram das regiões Oeste e Noroeste do Estado.

O informe registra ainda 109.574 casos notificados no Paraná. São 15.230 a mais na comparação com a semana passada. Além disso, há 37.048 confirmações de casos, um aumento de 23,45% em sete dias.

Dos 374 municípios que registraram notificações de dengue (93,7% do Estado), 309 já confirmaram a doença (77,4%). De acordo com o relatório, 269 deles confirmaram casos autóctones no período, ou seja, a dengue foi contraída no município de residência dos pacientes.

“Infelizmente o número de mortes cresce, assim como o de casos. É essencial o atendimento clínico e diagnóstico rápido da doença, para que os pacientes sejam avaliados pelos serviços de saúde. Nossas equipes de vigilância e atenção acompanham os casos e atuam em todas as regiões do Paraná na orientação e capacitação dos profissionais de saúde para o controle da doença”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, César Neves.

ÓBITOS – A Sesa informa a morte de mais quatro pacientes. São três mulheres e um homem com idades entre 10 e 87 anos. Eles residiam em Catanduvas e Cascavel, de abrangência da 10ª Regional de Saúde, e Ivatuba e São Jorge do Ivaí, da 15ª RS. Os óbitos ocorreram entre 1º e 8 de abril de 2022.

AÇÕES – A equipe da Seção de Apoio Logística de Insumos e Equipamentos (Scali), a Divisão de Doenças Transmitidas por Vetores (DVDTV) e o Núcleo de Vigilância Entomológica de Maringá estão na 10ª Regional de Saúde de Cascavel para promover, nos 25 municípios da região, capacitações e orientações para os supervisores de campo e coordenadores dos agentes de combate a endemias, no combate ao vetor.

Nesta quarta-feira (4), uma equipe da DVDTV estará na 5º Regional de Saúde, em Guarapuava, para um encontro com gestores de saúde, médicos e enfermeiros. O assunto será o diagnóstico e manejo clínico do paciente com sintomas de dengue para orientar as equipes quanto à assistência aos casos suspeitos.

INFESTAÇÃO PREDIAL – A Sesa publica nesta terça-feira (3) o 2º informe entomológico de 2022, referente ao período de 01/03/2022 a 29/04/2022. O documento apresenta os principais criadouros do Aedes aegypti no Estado. Os dados são provenientes do levantamento entomológico realizado pelos municípios e informados à Secretaria. Criadouros como lixo (recipientes plásticos, garrafas, latas), sucatas em pátios e ferros-velhos, entulhos de construção, são os principais depósitos passíveis de remoção e representam 38,2% dos criadouros encontrados.

O informe também aponta que depósitos móveis como vasos e frascos com água, pratos, pingadeiras, recipientes de geladeiras, bebedouros em geral, pequenas fontes ornamentais, materiais em depósito de construção (sanitários estocados, etc.) e objetos religiosos correspondem ao 2º grupo de maior relevância para o ciclo de vida do mosquito.

Outro depósito importante, que corresponde a 16,5% dos criadouros, são os locais de armazenamento de água, no solo, como as cisternas e caixas d’água. Com ações simples de remoção, proteção, limpeza e destinação adequada de resíduos sólidos, é possível evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Uia!!!