Estiagem afeta abastecimento de água em Ribeirão Claro

Com volume mais baixo do Ribeirão Antunes, cidade registra queda de 40% na captação de água

Da Redação

Estiagens seguidas causa instabilidade no abastecimento em Ribeirão Claro

A Prefeitura de Ribeirão Claro e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), têm enfrentado seríssimos problemas de abastecimento no Município com a queda no volume de chuvas no Norte Pioneiro. A estiagem, tem atingido nascentes e consequentemente o Ribeirão dos Antunes, principal fonte de captação no Município, levando a uma queda de 40% na captação de água, e para piorar, dois poços artesianos estão paralisados.

Segundo o diretor do SAAE, Osmar Baggio, a cada ano, o clima está diminuindo a precipitação de chuvas, afetando minas e nascentes, e como não foi feito o serviço preventivo, a população agora sofre as consequências com a falta de água. “Os poços são fundamentais para garantir o fornecimento emergencial. Vamos precisar providenciar com urgência um novo poço”, disse.

Porém, o SAAE se encontra em uma situação financeira complicada, em virtude de um acumulado de dívidas na autarquia oriundas da gestão anterior. Em janeiro, o SAAE estava com saldo financeiro praticamente zerado e com um acumulado em dívidas que ultrapassavam meio milhão de reais. “Neste mês de março já tivemos uma discreta melhora nas contas, conseguimos fechar com saldo positivo de R$ 800 em caixa”, explica.

O secretário de Administração e Finanças, Fábio de Lucca, esclarece que de fato, a solução encontrada será a perfuração de um novo poço artesiano, já que o poço desativado tem um custo elevado para manutenção e ainda correr risco de não dar certo. E desta forma poder suprir a necessidade do Município.

Cientes das dificuldades que a população vem enfrentando, o prefeito João Carlos Bonato e a vice-prefeita Ana Maria Baggio Molini garantem ao SAAE que independentemente da situação financeira da autarquia, vão providenciar o repasse necessário para solucionar os problemas de abastecimento em caráter emergencial. “Ainda não temos o valor exato da perfuração, mas provavelmente passa de R$ 300 mil o investimento. A prefeitura garante esse recurso para o SAAE para perfuração de um novo poço e solucionar com urgência esse problema”, garante.

Dois dos poços artesianos em funcionamento, na Estação de Captação de Água, suprem aproximadamente 50% da demanda do Município. “Os caminhões pipa, estão trabalhando para fazer o abastecimento de bairros que sofrem com a falta de água”, esclarece o chefe do SAAE.

A orientação da Prefeitura é que a população faça o racionamento de água durante a crise hídrica instalada no Município.

FOTO: água

CRÉDITO: Prefeitura

LEGENDA: Ribeirão dos Antunes que é a principal fonte de captação no Município, tem queda de 40%