Saúde reúne fabricantes de oxigênio para tratar do abastecimento a hospitais

Agência de Notícias


A Secretaria de Estado da Saúde realizou nesta quinta-feira (25) uma reunião com fabricantes de oxigênio para garantir o abastecimento nas unidades hospitalares próprias do Paraná.

“Esta foi a terceira reunião que realizamos este ano, antes mesmo do aumento da demanda, unindo todas as empresas que prestam esse serviço para o Estado para alinharmos posicionamentos e termos conhecimento para trabalhar os pontos críticos neste momento da pandemia”, disse o secretário da Saúde, Beto Preto.

Nos últimos dias o Paraná recebeu 200 cilindros de oxigênio do Governo do Amazonas e mais 35 do Departamento de Estradas de Rodagem (DER/PR). “Com o aumento da demanda por oxigênio, alguns municípios e unidades de pequeno porte precisaram de cilindros mais do que o normal e o Estado disponibilizou estes equipamentos recebidos para dar suporte para essas unidades”, acrescentou o secretário.

Os hospitais que fazem parte do Plano de Atendimento Covid-19 e demais unidades próprias do Estado não registraram desabastecimento de oxigênio.

“Embora o consumo tenha aumentado, em alguns lugares até três vezes, não houve falta de produção deste insumo e nem desabastecimento nas unidades que fazem parte da rede hospitalar própria ou que integram o Plano de Atendimento à Covid-19”, reforçou o diretor-geral da Secretaria da Saúde, Nestor Werner Junior.

“Nosso objetivo é reduzir o risco de falta de oxigênio, tomando decisões em conjunto e discutindo a questão com estes fabricantes para conseguir garantir o abastecimento em todos os pontos de atenção no Paraná, assim como já vem sendo feito na rede estadual”, acrescentou.

ESFORÇOS – O controlador-geral do Estado, Raul Siqueira, participou da reunião e ressaltou a importância de reunir esforços na luta contra o vírus. “A missão do Governo do Estado é salvar vidas. O momento é de fortalecimento e união no combate a esta doença e a Controladoria- Geral adere a essa metodologia de comunicação de forma democrática e transparente com os distribuidores”, afirmou